Continua após publicidade

Mineirinho faz bonito em Saquarema

Campeão mundial em 2015 (um ano depois de Gabriel Medina), ele embolsa um prêmio de 100 000 dólares e mantém em alta o prestígio dos brasileiros no surfe

Por Pedro Tinoco
Atualizado em 20 Maio 2017, 00h00 - Publicado em 20 Maio 2017, 00h00

Criado na favela Santo Antônio, no Guarujá, litoral paulista, o garoto era louco por fliperama e videogame. Tão louco que surrupiava todas as moedinhas ao seu alcance para bancar as partidas. O mau hábito rendeu pelo menos uma surra do irmão mais velho, Ângelo, preocupado em afastar o caçula de delinquências mais graves. Depois, o primogênito teve ideia melhor: passou a levar o irmãozinho para pegar onda e propiciou o início da carreira de um astro do esporte. Essa é uma das saborosas narrativas do livro Como Se Tornar um Campeão (Editora Intrínseca), recém-lançado e escrito pela jornalista Márcia Vieira, sobre a trajetória de Adriano de Souza, 30 anos, vencedor do mundial de surfe em 2015. Mais conhecido como Mineirinho, o craque acaba de escrever um novo capítulo de sua espinhosa mas bem-sucedida atuação. Na quarta-feira 17, ele conquistou a etapa brasileira do Mundial 2017, realizada em Saquarema, vencendo todas as baterias até chegar à final. No caminho, bateu a surpresa do torneio, o catarinense Yago Dora, 21 anos, que havia eliminado os campeões mundiais John John Florence, Gabriel Medina e Mick Fanning. Na decisão, Adriano superou o australiano Adrian Buchan por margem apertada de pontos — 17,63 a 17,23 — e embolsou 100 000 dólares. Está em segundo lugar no ranking mundial, ao lado do sul-africano Jordy Smith e do australiano Owen Wright. John John Florence lidera o campeonato. A vitória em uma cidade que faz parte da história do surfe no Brasil foi muito comemorada na areia e na água. O campeão improvisou uma volta olímpica de jet ski, empunhando a bandeira nacional, e desembarcou carregado por amigos e torcedores. Razões para festa não faltam: a brazilian storm (“tempestade brasileira”), expressão usada para definir uma geração de ouro do surfe nacional, segue firme e forte.

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.