Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Máscaras de proteção: deputado propõe uso obrigatório nos desfiles das escolas de samba

Dionísio Lins vai sugerir à Liesa e à prefeitura que, se componentes desrespeitarem determinação, punição seja perda de um ponto em quesito a ser definido

Por Paula Autran Atualizado em 20 jan 2022, 13h19 - Publicado em 20 jan 2022, 12h21

A quatro dias da data marcada para a prefeitura bater o martelo sobre a realização, ou não, dos desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Rio (na segunda-feira, dia 24), o deputado estadual Dionísio Lins (Progressista) decidiu encaminhar, nesta sexta-feira (21), ao presidente da Liga das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Perlingeiro, e ao prefeito da cidade, Eduardo Paes, um ofício solicitando que os componentes das escolas usem máscaras durante toda sua passagem pela Marquês de Sapucai. Ele sugere, ainda, que no caso de algum deles desrespeitar a determinação, a escola seja punida com a retirada de um ponto de quesito a ser definido pela Liesa.

+ Artigo que culpa desfiles por casos de Covid em 2020 gera polêmica

“O Carnaval foi e sempre será uma das maiores atrações do mundo, mas não podemos deixar que a euforia seja maior do que a ciência e os cuidados com a saúde. Como fanático que sou pelo Carnaval e pelo Império Serrano e Portela, não posso deixar de lamentar esse pedido que faremos. Mas a finalidade não é apenas a de resguardar as pessoas que irão participar dessa festa, como também evitar que mais tarde digam que o Carnaval do Rio foi um grande propagador da doença”, explicou Lins.

+ Tradição interrompida: Copacabana Palace cancela baile de Carnaval em 2022

A proposta do deputado foi anunciada um dia depois de, nesta quarta-feira (19), terem sido divulgados os protocolos sanitários para os desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo. Segundo a prefeitura, o documento com as diretrizes da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) é resultado de duas reuniões realizadas entre as secretarias municipais de Saúde, Cultura e Segurança Urbana da capital paulista e a São Paulo Turismo (SPTuris). Além de exigir a obrigatoriedade do uso de máscaras não só para os desfilantes, mas também para os espectadores, foram estabelecidas regras como a exigência do passaporte de vacinação para todos; ocupação máxima de 70% da capacidade em todos os setores, incluindo arquibancada, camarotes e pista; e redução do número de componentes por escola.

Em São Paulo, os chefes de ala – responsáveis por conferir se as fantasias dos componentes estão completas – também ficarão responsáveis por conferir o uso da máscara. O uso incorreto poderá levar à perda de pontos nos quesito “Fantasia”. Por outro lado, será excluído do julgamento neste ano o quesito “Harmonia”, que avalia se os componentes cantam o samba-enredo.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Em nota, a Liesa afirma que repudia os movimentos políticos que usam o Carnaval como tema de debate, sem qualquer respaldo técnico. “O Carnaval da Marquês de Sapucaí acontece numa área fechada e com controle de acesso. Sendo assim, seguirá os protocolos e normas para a sua realização definidos pelos órgãos competentes, assim como todos os eventos que estão acontecendo no Rio de Janeiro. Os sambistas e a comunidade do samba merecem respeito e não debates não construtivos e principalmente de viés político sobre os protocolos de um evento que acontece no final de mês de fevereiro”, diz a nota da liga, que reforça que está “atenta e em contato diário com especialistas, autoridades e órgãos competentes para orientar nas melhores decisões em respeito à vida“.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado, com Blogs e Colunistas que são a cara da cidade.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

App Veja para celular e tablet, atualizado mensalmente com todas as edições da Veja Rio

a partir de R$ 12,90/mês