Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Luto no Rio: criador do Disque Denúncia, Zeca Borges morre aos 77 anos

Ele teve um infarte e estava internado na emergência do Hospital Copa Star, em Copacabana, na Zona Sul

Por Da Redação 3 dez 2021, 12h59

Criador e coordenador do Disque Denúncia, Zeca Borges morreu aos 77 anos, na madrugada desta sexta-feira (3), em decorrência de um infarto sofrido na noite de quinta-feira (2). Ele estava internado na emergência do Hospital Copa Star, em Copacabana, quando teve uma cardiopatia isquêmica. No Twitter, o perfil oficial do Disque Denúncia Rio, lamentou a morte de seu fundador: “O Rio perde o gaúcho mais carioca e apaixonado por essa cidade. E nós, perdemos um grande líder e amigo. Zeca, seu legado jamais será esquecido. Continuaremos firmes na missão que nos foi dada”.

+ Três décadas de VEJA RIO: 30 personalidades que fizeram história na cidade

O executivo do mercado financeiro José Antônio Borges Fortes, mais conhecido como Zeca Borges, fez história no Rio ao mudar de ramo e criar o Disque-Denúncia, no auge da dramática onda de sequestros que abateu o Rio em em 1995. Com ele, qualquer cidadão passou a poder dar sua contribuição anônima às autoridades para a solução de casos de polícia. De lá para cá, o 2253-1177 já recebeu mais de 2,7 milhões de registros, que trouxeram expressivos resultados: através deles, a polícia prendeu e autuou 21 000 marginais. Entre eles, o traficante Elias Maluco, 109 dias depois do assassinato do jornalista Tim Lopes, em 2002, sem que um tiro fosse disparado. Outro caso de grande repercussão foi a prisão dos assassinos do menino João Hélio Fernandes, que, durante o roubo do carro de sua família, foi arrastado por 6 quilômetros, dependurado no veículo. O projeto se expandiu para outros estados e também para a Argentina e o Chile.

Por este trabalho, Zeca foi um dos 30 cariocas homenageados nos 30 anos da Veja Rio, em setembro, por terem ajudado a fazer a história recente da cidade. “A polícia não podia ser deixada só”, disse ele, na ocasião.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

O governador Cláudio Castro lamentou a morte de Zeca Borges. “O Rio de Janeiro perdeu um dos maiores defensores da paz e da justiça em nosso estado. Zeca Borges criou e coordenou o Disque-Denúncia, uma das mais poderosas ferramentas à disposição da sociedade, que ajudou a prender mais de 20 mil criminosos. Expresso minha gratidão pelo trabalho fundamental e pelo legado que Zeca nos deixou e minha profunda solidariedade à
família e aos amigos”, disse, em nota à imprensa.

Continua após a publicidade

Publicidade