Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Recursos de inteligência artificial do Google serão usados nos sinais de trânsito

Iniciativa realizada em parceria com a CET-Rio busca otimizar o tempo dos cruzamentos e diminuir a emissão de poluentes na cidade

Por Luiza Maia Atualizado em 6 out 2021, 15h17 - Publicado em 6 out 2021, 15h16

Anunciado nesta quarta (6), um novo projeto do Google pretende tornar o sistema de semáforos do Rio mais ágil e criar rotas de trânsito mais eficientes por meio da inteligência artificial.

+Arquibancadas liberadas: venda de ingressos para a Sapucaí começa na próxima semana

A iniciativa deve ser implementada nos próximos meses, em parceria com a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio). O objetivo é otimizar o tempo dos cruzamentos da cidade e diminuir, à longo prazo, a poluição causada pelo trânsito, ao evitar o desperdício de combustível e a emissão de poluentes no ar.

O primeiro passo do programa será estudar o tráfego do município e calcular o tempo que os veículos gastam nos sinais de trânsito. A partir dessas informações, serão treinados modelos baseados em inteligência artificial para melhorar o fluxo de trânsito.

A pesquisa será iniciada em uma região específica e depois se estenderá para toda a cidade. O processo é gradual: primeiro será estudado um semáforo, em seguida um conjunto, e depois também serão acrescentadas informações sobre os pedestres e os ciclistas que circulam nessas áreas.

+Boa notícia: Circo Voador reabre as portas em outubro – saiba a atração que marca o retorno

Segundo o presidente da CET-Rio, Joaquim Dinis, a expectativa é que em um ano a ação gere resultados significativos. “Além de colocar a cidade do Rio na vanguarda, a iniciativa usa dados que são atualizados de forma constante, o que facilita a análise do tempo ideal para calibrar os semáforos”, explica.

Realizada pela primeira vez em Israel, a ação piloto demostrou resultados positivos na otimização do tráfego: até o momento, foi observada uma redução de 10% a 20% no consumo de combustível e no tempo de atraso nos cruzamentos. A proposta ainda deverá ser expandida para outras cidades do mundo, sendo o Rio a primeira delas.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade