Clique e assine por apenas 4,90/mês

Governo do Rio cancela compra de alimentos para o Palácio Guanabara

Edital incluía frutas caras e cortes nobres de carne

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 5 dez 2016, 11h15 - Publicado em 22 jun 2016, 16h07

O governador em exercício do Rio, Francisco Dornelles, determinou o cancelamento de uma licitação para a compra de alimentos para o Palácio Guanabara, sede do governo estadual, que estava prevista para ser efetuada na terça (21). 

+ Romário vai disputar a prefeitura do Rio nas próximas eleições

A lista, que custaria cerca de R$ 361 mil aos combalidos cofres do estado, incluía frutas como framboesa, que somaria gastos de R$ 9 mil, e mirtilo, arroz dos tipos arbóreo, negro e selvagem, e cortes nobres de carne, como picanha e filé-mignon, além de salmão, robalo e dourado. O edital, publicado no último dia 8, previa ainda a compra de 6 000 cápsulas de café expresso, orçadas em quase R$ 51 mil, mas o item foi removido da lista, assim como dez quilos de de damascos secos e 65 kg de uva passa branca. 

Caso não tivessem sido cortados, os itens elevaria o custo total da licitação para R$416 mil. Só de proteína animal, a previsão de gastos era de R$ 32 mil, que pagariam 950 quilos de corte de alcatra, contrafilé, filé-mignon, picanha e lagarto redondo. O Palácio gastaria ainda pouco mais de R$ 3,6 mil por 350 kg de frango, quase R$ 6 mil por 375 kg de bacon e linguiças e outros R$ 33 mil por 605 quilos de dourado, linguado, salmão, cherne, robalo e congro rosa.

Publicidade