Clique e assine com até 65% de desconto

Fiocruz investiga transmissão do coronavirus por animais no Rio

Pesquisadores realizam testes em cães e gatos de famílias onde houve casos da Covid-19 para descobrir se bichos podem contaminar humanos

Por Bruna Motta 26 out 2020, 15h53

Ainda cercada de mistérios e novidades pelos profissionais de saúde, a Covid-19 desperta muitas dúvidas – e uma delas é bastante frequente: Será que os animais podem contrair o coronavírus? E se contraírem, podem vir a infectar humanos?

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Pesquisadores da Fiocruz estão realizando testes em cães e gatos de famílias onde houve casos de contaminação pela Covid-19 para descobrir a resposta. As comunidades perto da floresta Pedra Branca, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, foram o ponto de partida do estudo por ser uma região com intenso contato entre animais domésticos e silvestres. Essa interação, segundo a Fiocruz, aumenta o risco de transmissão, transformando os pets em um elo involuntário de infecção de origem silvestre para o ser humano.

+Professores de escolas particulares do Rio suspendem greve 

Além de morcegos, cães e gatos, a pesquisa da Fiocruz inclui micos e deve ser ampliada para roedores, cobras, preguiças, cavalos, bovinos e aves. Os testes de PCR de cães e gatos já realizados deram negativo. A instituição espera que o resultado de sorologia revele se tiveram contato com o vírus.

+Parque Nacional da Tijuca reabre pontos turísticos; veja quais 

Em todo o mundo há menos de 25 relatos de cães e gatos que contraíram o coronavírus e nenhum relato oficial de animais que tenham transmitido para seus donos ou tutores. Além disso não há relatos de casos positivos de Covid-19 em animais no Brasil.

+Guarda Municipal bota cães aposentados para adoção; um deles pode ser seu 

Continua após a publicidade
Publicidade