Clique e assine com até 65% de desconto

Professores de escolas particulares do Rio suspendem greve

Os profissionais estavam em greve desde julho

Por Agência Brasil Atualizado em 26 out 2020, 11h06 - Publicado em 26 out 2020, 11h02

Os professores de escolas particulares das cidades do Rio de Janeiro, Itaguaí, Paracambi e Seropédica, no Grande Rio, decidiram suspender sua greve a partir desta quarta (28). Os profissionais estavam em greve desde 4 de julho para pressionar as escolas particulares a não retomarem as aulas presenciais em meio à pandemia de covid-19.

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

As aulas das escolas particulares só foram retomadas no início de outubro, depois de autorização do governo do estado e liberação pela Justiça do Rio.

+Parque Nacional da Tijuca reabre pontos turísticos

A decisão de suspender a greve, que durava 112 dias, foi tomada em assembleia no último sábado (24) do Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro e Região (Sinpro-Rio). A assembleia decidiu decretar estado de greve e alerta sanitário “em defesa da saúde física e psicológica” dos professores.

Desde o retorno das aulas presenciais, o Sinpro já recebeu denúncias de descumprimento de normas de segurança e protocolos de segurança por cerca de 30 escolas. As denúncias serão encaminhadas à Secretaria Estadual de Saúde do Rio.

+Número de divórcios quase dobra no Rio no segundo semestre 

Continua após a publicidade
Publicidade