Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Estudantes cariocas vencem desafio mundial de tecnologia da Apple

Alunos de ciência da computação da PUC-Rio desenvolveram aplicativos que privilegiam acessibilidade num prazo de duas semanas

Por Luiza Maia 11 jun 2021, 19h21

Derrotando 341 estudantes de diferentes parte do mundo, nove alunos de informática da PUC-Rio venceram o concurso Swift Student Challenge 2021, da Worldwide Developers Conference (WWDC), conferência anual de desenvolvedores da Apple.

+ Rio ultrapassa 1 000 estabelecimentos certificados com o selo pet friendly

Os participantes encararam o desafio de desenvolver, em duas semanas, um aplicativo utilizando Swift, linguagem de programação criada pela empresa de tecnologia em parceria com a comunidade Open Source.

Uma das vencedoras da competição foi a aluna de ciência da computação Karina Tronkos, de 24 anos, que conquistou o prêmio pelo quinto ano consecutivo. O trabalho da estudante foi voltado para a biomimética, uma área de estudo que tem inspiração na natureza para desenvolver produtos de forma mais sustentável.

+ UFRJ é eleita novamente a melhor federal do país em ranking internacional

“O nervosismo que eu senti foi como se fosse a primeira vez, porque eu busco me dedicar ao máximo para fazer toda parte de programação, design, além de trabalhar todo o conceito que eu quero transmitir aos avaliadores”, afirma.

Apaixonada por tecnologia desde bem nova, a UX designer também produz conteúdos há mais de dois anos no perfil do Instagram Nina Talks (@nina_talks), que se aproxima de 87 000 seguidores.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A iniciativa surgiu através da motivação da universitária em tornar temas ligados a design e tecnologia acessíveis para mais pessoas, já que, quando entrou na faculdade, sentia falta de mulheres ocupando posições de destaque na área, e até mesmo de conteúdos em português sobre o assunto.

Continua após a publicidade

“Eu pensei em três pilares para o projeto: inspirar, educar e empoderar. Minha vontade é que mais mulheres e pessoas de grupos minoritários, no geral, tenham contato com essas informações de forma didática e conheçam as oportunidades dessa área”, diz a influenciadora.

 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Nina Talks | UX Design e Tech (@nina_talks)

Na lista dos premiados, também estão os alunos Juliana Prado, Fernando Lobo, Frederico Lacis de Carvalho, Mateus Levi Simões Fernandes, Matheus Pereira Kulick, Matheus Sampaio Moreira, Theo Necyk e Victor Duarte.

O participante Matheus Kulick, também estudante de ciência da computação, vibrou ao receber a notícia após semanas intensas de dedicação ao aplicativo. “Eu estava em período de provas na faculdade, então foi muito desafiador desenvolver tudo no prazo. Estava tenso, porque só testei o recurso uma vez.”

+ Engenhão pode virar polo gastronômico, cultural e de lazer

Para desenvolver o projeto, ele selecionou a tecnologia de face tracking, uma ferramenta de acessibilidade disponível no Ipad Pro da Apple que consegue mapear alguns movimentos do rosto do usuário e transformar em ações no aplicativo.

O resultado: um jogo que conta a história do tiranossauro Alfredo que, por possuir braços curtos, precisa aprender a usar suas expressões para controlar seu novo dispositivo. “A tecnologia me encantou pela acessibilidade, já que além do exemplo do jogo, ela pode ser usada pra outros diversos aplicativos”, diz o estudante.

Aluno mostra jogo em notebook
Matheus Kulick: estudante desenvolveu aplicativo através de um recurso de acessibilidade Reprodução/Arquivo pessoal

Além de serem convidados a participar da conferência, os ganhadores também tiveram como prêmio a renovação de suas contas de desenvolvedores iOS na App Store por um ano, cuja anuidade custa 99 dólares.

Continua após a publicidade
Publicidade