Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Salve, Jorge: curiosidades sobre o Santo Guerreiro

Celebrações do dia 23 de abril, em homenagem a um dos padroeiros do Rio de Janeiro, serão, mais uma vez, via internet

Por Marcela Capobianco Atualizado em 16 abr 2021, 13h45 - Publicado em 16 abr 2021, 13h02

Mais uma vez, o Dia de São Jorge, um dos padroeiros do Rio de Janeiro – ao lado de São Sebastião – terá de ser comemorado à distância, pela internet. Vale lembrar que o feriado em homenagem ao santo foi antecipado no início de abril.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

A Igreja Matriz São Jorge, em Quintino, Zona Norte da cidade, vai transmitir as celebrações pela página do Facebook. A missa das 5h da manhã, com a alvorada e o toque do clarinete, será transmitida pelo canal Rede Vida e também pelas redes sociais da paróquia. Já as missas das 10h, 15h e 18h serão transmitidas apenas pelas redes sociais da igreja.

História.

Diz a lenda que São Jorge, o Santo Guerreiro, foi um bravo capitão do Exército de Roma que, de tão talentoso, ganhou o título de Conde. O Imperador Diocleciano tinha planos para exterminar os cristãos, mas Jorge defendeu a religião com unhas e dentes.

Por conta de sua crença, ele foi torturado de várias formas e levado ao Imperador para renegar sua fé, o que se recusou a fazer. Em 23 de abril de 303, Jorge foi degolado e começou a ganhar devotos pelo mundo.

Até hoje, milhares de fiéis peregrinam todos os anos à cidade de Lod, em Israel, onde fica a Igreja Ortodoxa de São Jorge, que abriga o túmulo no qual estariam guardados os restos mortais do Guerreiro.

No sincretismo religioso, São Jorge corresponde a Ogum na umbanda e no candomblé. Os escravos trouxeram para o Brasil a cultura africana e suas religiões. Forçados a passar por um processo de catequização católica, os africanos passaram a associar os orixás a santos da igreja católica, mantendo, assim, a fé em seus deuses nativos.

+ Lições de João Caetano são transformadas em websérie por Claudio Mendes

Rio de Janeiro e o Santo Guerreiro.

A Paróquia de São Jorge, no Rio, foi construída em um terreno onde, anos antes, senhoras se reuniam para rezar o terço. Um português, que costumava passar por lá, trouxe de Portugal uma imagem de São Jorge e entregou ao grupo. Ali começou a devoção ao santo, que se espalhou pelo bairro e culminou na construção de uma capela muito simples para o padroeiro.

Em 1945, o então arcebispo do Rio de Janeiro, dom Jaime de Barros Câmara, criou 25 novas paróquias, entre elas, a de São Jorge em Quintino e a igreja de São Gonçalo Garcia e São Jorge, na Praça da República, Centro. A imagem de São Jorge chegou ao local em 1855, após a igreja do santo, próxima ao local, ruir por falta de condições das instalações.

Continua após a publicidade

A irmandade de São Gonçalo Garcia, então, resolveu abrigar a imagem. Surgiu, então, a Venerável Confraria dos Gloriosos Mártires São Gonçalo Garcia e São Jorge. As informações são da Agência Brasil.

+ Seis restaurantes recém-chegados ao delivery. E o que pedir em cada um deles

Oração.

“Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.

Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.

Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo. São Jorge Rogai por Nós.”

+ As novidades do cinema e do streaming em abril e maio

Famosos devotos.

Noutros tempos, o sambista Zeca Pagodinho comemorava o dia do Santo Guerreiro com uma grande festa em casa. O cantor, aliás, homenageia São Jorge na música Ogum, o orixá que, na umbanda e no candomblé, corresponde ao santo da igreja católica.

Jorge Ben Jor também tem muita fé no santo homônimo. Jorge da Capadócia, escrita por ele, é quase uma oração e registra toda a devoção do cantor e compositor.

Outro artista que carrega o nome do santo – e a fé no Guerreiro – é Seu Jorge. O cantor e compositor, inclusive, escreveu e gravou a música Alma de Guerreiro, que fez parte da novela Salve Jorge, entre 2012 e 2013.

A atriz Giovanna Antonelli também é fã de São Jorge, e gosta de mostrar sua devoção usando camisetas com a imagem do santo.

Continua após a publicidade
Publicidade