Continua após publicidade

UFRRJ cria sistema inteligente que ajuda a diagnosticar a Covid-19

Ferramenta usa inteligência artificial e está em fase experimental

Por Agência Brasil
Atualizado em 15 Maio 2020, 15h58 - Publicado em 29 abr 2020, 10h35

Pesquisadores da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) desenvolveram um sistema chamado XrayCovid-19, que utiliza inteligência artificial para auxiliar a área de saúde no diagnóstico da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

+Coronavírus: após pressão dos pais, colégios do Rio reduzem mensalidades

A ferramenta está em fase experimental no OpenLab do Programa de Pós-Graduação em Humanidades Digitais. Com a avaliação de uma radiografia do tórax, o sistema verifica se a imagem tem o padrão associado à pneumonia covid-19, à pneumonia comum ou a nenhuma das duas.

Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Os professores Leandro Alvim e Filipe Braida, do Departamento de Ciência da Computação do Instituto Multidisciplinar, Campus Nova Iguaçu, da UFRRJ, começaram a montar o sistema de identificação da covid-19 a partir de uma base pública de imagens de radiografia de pacientes da Itália, um dos países mais atingidos pela doença.

Continua após a publicidade

+Quarentena: sem humanos por perto, animais silvestres saem da toca no Rio

“Fizemos um modelo de inteligência artificial que dá o diagnóstico a partir dos padrões de imagens de radiografia. Ao mesmo tempo, elaboramos um sistema integrado de fácil uso que funciona no computador ou no celular. A ferramenta consegue dar o diagnóstico com velocidade e pode ajudar o profissional de saúde na triagem”, afirmou Alvim.

+Feiras livres voltam a funcionar a partir desta quarta (29)

Para a elaboração da ferramenta, os pesquisadores já receberam mais de 300 radiografias de pacientes brasileiros. O próximo passo será incorporar na pesquisa as imagens de tomografias e os sintomas relatados por pacientes.

Continua após a publicidade

Segundo Alvim, a ferramenta tem algumas funcionalidades: auxílio ao médico na tomada de decisão e na triagem de pacientes nas unidades de saúde, coleta de estatísticas de doenças respiratórias e pulmonares, montagem de um banco de dados integrado para a pesquisa, mantendo a privacidade dos pacientes, além de ser útil na telemedicina.

Alvim destaca que a dificuldade de realização de testagem em massa do coronavírus leva a uma subnotificação dos casos. O aplicativo desenvolvido na UFRRJ, que também conta com a colaboração do médico Erito Marques, do Departamento de Tecnologia e Linguagens, e do professor Rodrigo Tavares, do Departamento de Direito, pode ser mais um recurso na detecção dos casos.

A proposta é disponibilizar a ferramenta para contribuir com o sistema público de saúde no enfrentamento da pandemia. Os professores estão iniciando contatos com pesquisadores da área de saúde de diversas universidades e centros de pesquisa para estabelecer parcerias para o aperfeiçoamento do sistema, a definição dos melhores protocolos para a sua utilização e o desenvolvimento de novos recursos baseados na mesma tecnologia.

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.