Clique e assine com até 65% de desconto

Coronavírus: pressionada, prefeitura libera rodas de samba

Sambistas ficaram inconformados com manutenção da proibição, anunciada na última quinta (1); música ao vivo em bares e restaurantes foi autorizada

Por Cleo Guimarães 5 out 2020, 11h49

Três dias depois de anunciar a liberação da execução de música ao vivo em bares e restaurantes e manter a proibição às rodas de samba no Rio, a prefeitura decidiu recapitular. Pressionado por músicos, empresários e frequentadores de eventos de samba que se sentiram injustiçados com a medida, o prefeito Marcelo Crivella vai autorizar a realização deste tipo de evento provavelmente ainda nesta segunda (5).

Entrevista: ‘Tive que voltar para a terapia’, diz Ana Paula Araújo

O decreto que libera as rodas de samba na cidade ainda não foi publicado no Diário Oficial, o que deve acontecer a qualquer momento. Os eventos em quadras de escolas de samba, no entanto, permanecem proibidos.

Cinema Estação tem mostra de filmes inéditos

A volta das rodas segue as mesmas orientações e cuidados sanitários de atrações semelhantes: mesas e cadeiras devem ter distanciamento mínimo de dois metros entre elas, e cada uma só pode ter ocupação máxima de 50%, exceto para o mesmo grupo de pessoas. Artistas devem utilizar máscara durante todo o tempo – só é permitido tirá-la no momento da apresentação. O uso da máscara é obrigatório também para o público e para quem trabalha nos bastidores.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade