Clique e assine por apenas 4,90/mês

Coronavírus: cariocas voltam ao metrô após campanha de Bolsonaro

Um dia depois de o presidente lançar manifesto contra o confinamento, vagões voltam a ficar cheios no Rio; fluxo de passageiros havia caído 86%

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 29 mar 2020, 22h58 - Publicado em 27 mar 2020, 15h43

Pode ter sido coincidência. Ou não. O fato é que um dia depois do lançamento da campanha “O Brasil não pode parar”, criada a toque de caixa pelo governo Jair Bolsonaro para estimular os brasileiros a saírem do confinamento, já é visível um movimento maior nas ruas e no transporte público do Rio. Um exemplo é o vagão cheio na Linha 1 do Metrô, em foto feita no início da tarde desta sexta-feira (27), na estação General Osório, sentido Uruguai.

Coronavírus: atualizamos a lista do que pode funcionar no comércio do Rio

A concessionária havia registrado uma diminuição de 86% no fluxo de passageiros três dias atrás – antes do pronunciamento em rede nacional do presidente, no qual ele criticou medidas de isolamento, e antes também de a  campanha ser lançada. Novos números, relativos ao movimento desta sexta-feira, ainda não foram divulgados.

Coronavírus: ‘Vá para o inferno, Regina Duarte’, escreve Pedro Cardoso

Continua após a publicidade

ATUALIZAÇÃO: a concessionária MetrôRio informou, na tarde deste domingo (29), que o percentual de redução de passageiros foi estável durante os últimos sete dias, em comparação com uma semana regular. A média de queda no número de passageiros de segunda (23) a sexta (27) foi de 86%.

Publicidade