Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Cobrança do pedágio da Transolímpica é adiada

A previsão é de que a cobrança tenha início no primeiro fim de semana de setembro

Por Redação VEJA RIO Atualizado em 5 dez 2016, 11h07 - Publicado em 26 ago 2016, 14h07

Programada para começar nesta sexta (26) a cobrança do pedágio da via expressa Transolímpica foi adiada por conta de algumas pendências entre a concessionária Via Rio e a Prefeitura do Rio, segundo informações do Bom Dia Rio, da Rede Globo.

+ Corredor Transolímpico terá um dos pedágios mais caros do país

A previsão é de que a cobrança tenha início no primeiro fim de semana de setembro. O valor estabelecido pelo Tribunal de Contas do Município e pela prefeitura é de R$ 5,90. No entanto, desde o anúncio do resultado, um impasse vinha causando polêmica. É que a prefeitura igualou o valor da tarifa ao do pedágio da Linha Amarela. Só que o preço de R$ 5,90 está em vigor desde janeiro de 2015 e não foi reajustado ainda, porque o contrato com a concessionária Lamsa foi revisto, e a Via Rio não queria cobrar o valor atual, mas o que estaria valendo com o reajuste, propondo algo em torno de R$ 6,50 e R$ 6,60.

Com 26 quilômetros, a Transolímpica, construída para a Olimpíada, também conta com um corredor de BRT e 20 cabines na praça do pedágio. Assim que a cobrança tiver início, os motoristas terão que pagar a tarifa nos dois sentidos – em direção a Deodoro e ao Recreio dos Bandeirantes. A concessionária previa outro ponto de cobrança, na saída para a Estrada do Rio Grande, em Jacarepaguá, mas a prefeitura negou. Os moradores que residam dentro de um raio de dois quilômetros da praça do pedágio da Estrada do Rio Grande podem se cadastrar no site da Via Rio para que fiquem isentos da cobrança da tarifa.

 

Continua após a publicidade
Publicidade