Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Clubhouse: como funciona a rede social da vez, queridinha dos famosos

Nomes como Boninho e Di Ferrero já aderiram à plataforma por voz, que conquistou celebridades como Oprah Winfrey e Ashton Kutcher

Por Carolina Barbosa Atualizado em 8 fev 2021, 15h51 - Publicado em 8 fev 2021, 12h58

No sábado (6), José Bonifácio de Oliveira, o Boninho, diretor-geral do Big Brother Brasil, participou de um chat com usuários na Clubhouse, em que comentou sobre a 21ª edição do reality show. A participação, claro, gerou curiosidade àqueles que sequer conheciam a plataforma. Mas como funciona a rede social do momento?

Nada de textos, fotos ou vídeos. A plataforma permite apenas conversas por voz. O acesso, por ora, é restrito a quem recebe um convite. Mesmo assim, sob critérios de exclusividade, a rede social teve uma brusca ascensão nos últimos dias.

+O lado B do Rio: almanaque indica locais inexplorados que valem a visita

Segundo o Google, as buscas pelo aplicativo aumentaram 4 850% no Brasil nos últimos sete dias. É claro que isso está ligado à adesão de celebridades como Di Ferrero, Boninho, Oprah Winfrey, Kevin Hart, Drake e Ashton Kutcher, na lista dos 60 000 inscritos.

Continua após a publicidade

No fim de janeiro, uma conversa entre o bilionário da tecnologia Elon Musk e o presidente-executivo do aplicativo de investimentos Robinhood, Vlad Tenev, via Clubhouse, ajudou a catapultar a plataforma e deu início a uma corrida por convites de acesso ao serviço, que permite que cada usuário receba apenas dois convites.

Lançada em abril de 2020, já em plena pandemia, a plataforma pertence à Alpha Exploration Co. e foi desenvolvida por Rohan Seth, ex-funcionário do Google, e por Paul Davison, empresário do Vale do Silício.

Ao receber uma mensagem de texto com um link pelo celular, o interessado em se tornar usuário acessa o aplicativo e pode definir quais assuntos lhe interessam. Na timeline, aparecem salas de diversos temas, onde é possível conversar em tempo real por áudio. Ainda não é possível gravar e nem salvar os áudios.

Como no Zoom, para falar, o usuário deve levantar a mão para que os moderadores deem a autorização. Caso contrário estará no modo ouvinte (como se estivesse ouvindo um podcast). Também é possível criar sua sala para bater papo com amigos e pessoas de várias partes do mundo.

Continua após a publicidade

Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade