Continua após publicidade

Como será o carro voador da Embraer, a ser lançado em 2026 no Rio

Até 2035, mais de 200 veículos elétricos de pouso e decolagem vertical (“eVTOL”, na sigla em inglês) vão transportar 4,5 milhões de pessoas em 100 rotas

Por Da Redação
22 jun 2022, 14h25

“Previstos” nos desenhos animados dos Jetsons, a popular produção dos estúdios Hanna-Barbera da década de 1960, os carros voadores estão perto de se tornar uma realidade no Rio. A Eve, empresa de mobilidade aérea urbana da Embraer, prevê que até 2035 mais de 200 veículos elétricos de pouso e decolagem vertical (“eVTOL”, na sigla em inglês) transportem anualmente cerca de 4,5 milhões de passageiros em mais de 100 rotas na cidade e na Região Metropolitana do estado,  escolhido para ser o projeto piloto do carro voador no Brasil.  A expectativa é que o lançamento seja feito em 2026.

+ “Inverno é mais propício para aumento de casos de Covid”, diz secretário

De acordo com o site Garagem 360, o carro voador é semelhante a um helicóptero tradicional. Porém, com um custo operacional bem mais acessível, o que torna o uso mais democrático, e viabiliza viagens de curto tempo e distância. Uma das características principais do eVTOL é a realização de pouso e decolagens verticais, o que não torna necessária uma longa pista, como no caso dos aviões. Os modelos desenvolvidos atualmente focam na motorização elétrica, o que garante ainda uma condução mais silenciosa e ecologicamente correta. Sobre os “vertiportos”, os locais adaptados para pouco e decolagem dos carros voadores tipo eVTOL, dois já foram até divulgados: sendo eles o aeroporto de Galeão e o Centro Empresarial Henrique Simonsen, situado na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, capital do estado.

Segundo a empresa, em reportagem veiculada pelo Diário do Rio, o preço desta verdadeira viagem não deve ficar tão nas alturas assim. Com base nos valores que são estimados para esse tipo de transporte no restante do mundo, ir do Galeão à Barra da Tijuca custaria cerca de 300 reais – pouco mais que o dobro do preço de um Uber Black, que hoje cobra em torno de 130 reais pelo mesmo trajeto em momentos de pouca demanda. A rota “Galeão-Barra” já foi projetada pela Eve. Foram feitas viagens com passageiros reais (que pagavam 99 reais pelo bilhete), só que de helicóptero. A ideia da companhia era exemplificar a praticidade da rota, que dura cerca de 15 minutos.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A Eve pretende, até 2026, iniciar rotas desses verdadeiros táxis aéreos no Rio de Janeiro, Miami e Londres. O projeto apresentado mescla conceitos de ônibus, táxis e motoristas de aplicativo: nele, há rotas pré-estabelecidas que são percorridas pelos “carros voadores”. Reserva, pagamento e outras interações serão feitas pelo celular e outros dispositivos.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.