Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Cães ‘terapeutas’ da Guarda Municipal se aposentam e ganham novos lares

Há sete anos os irmãos Joe, Jade e Joia participam do projeto de Cinoterapia. Os cães, da raça golden retriever, serão adotados membros da guarda

Por Luiza Maia Atualizado em 27 abr 2021, 13h19 - Publicado em 27 abr 2021, 13h16

Após sete anos de serviços prestados, os irmãos Joe, Jade e Joia terão o direito a uma merecida aposentadoria. Os cães, da raça golden retriever, integram a Guarda Municipal do Rio, não como agentes da ordem pública, mas como ‘terapeutas’ em instituições da cidade.

+Com a pandemia, cariocas preferem ir às compras uma vez por mês

O método da cinoterapia utiliza os animais como facilitadores terapêuticos para pacientes com diferentes quadros, levando um pouco mais de leveza para o tratamento. Os três cães possuem no currículo trabalhos realizados na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae-Tijuca), além de apresentações nas escolas municipais do Rio.

O último trabalho do trio será realizado neste fim de semana, com a realização de sessões de Cinoterapia para idosos no Abrigo Cristo Redentor, na Zona Norte da cidade. Após a despedida, no lugar dos irmãos já estão escalados o fox paulistinha Gigante, o dálmata Marshall e a pastora belga de malinois Mel.

+ Mangueira pretende “botar o bloco na rua” de forma virtual em 2021

Na Guarda Municipal, os cachorros começam a trabalhar a partir do primeiro ano de vida e se aposentam em torno dos sete anos de idade. No caso dos três irmãos, eles receberão novos lares por membros do próprio Grupamento de Cães de Guarda (GCG), que possuem prioridade na lista. “Já estamos ansiosos para receber a mais nova integrante da família”, diz o subsinspetor Wanderson Sermud, que irá abrigar a cadela Joia.

Atualmente, o canil da guarda conta com 29 cães das raças pastor alemão e belga de malinois, fox paulistinha, labrador golden e dálmata, que participam do patrulhamento na cidade, das ações de showdog e cinoterapia.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Quando não são adotados pelos próprios guardas, os cães aposentados podem ser adotados pela população em geral. A seleção é feita de forma rigorosa em razão da alta procura. Os interessados podem agendar uma visita pelo telefone (21) 3234-1057.

Continua após a publicidade
Publicidade