Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Recorde histórico: primeiro semestre de 2021 tem mais mortes do que nascimentos no Rio

Segundo o Portal da Transparência do Registro Civil, 29% dos óbitos no período foram causados pela Covid-19

Por Redação Atualizado em 14 jul 2021, 14h01 - Publicado em 14 jul 2021, 13h58

O período entre janeiro e junho de 2021 no estado do Rio foi o primeiro semestre da história a obter mais óbitos do que nascimentos desde 2003, quando teve início a série histórica do Portal da Transparência do Registro Civil, em 2003.

+Vai atrasar: Fiocruz adia para agosto a meta de 100 milhões de doses

No total, os cartórios do estado registraram 99 104 óbitos até o final de junho (leia-se o maior índice de mortes da história em um primeiro semestre). O número supera em 54,4% a média histórica de 64 100 óbitos no Rio.

+Covid-19: Rio não vai antecipar segunda dose da vacina Astrazeneca

Dados do portal apontam ainda que 29% (28 717) das mortes neste período foram causadas pela Covid-19. No que diz respeito aos nascimentos, o Rio registrou o menor número de nascidos em um primeiro semestre desde 2003: foram registrados 96 416 nascimentos, 13,6% a menos que a média de nascidos no estado ao longo destes anos.

Da diferença de 99 100 para 64 100  (35 000) – entre os números de mortes do primeiro semestre de 2021 e a média histórica do período – a maior parte é de mortes por Covid-19 (82%), de acordo com o Portal, que se abastece em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos praticados nos cartórios de registro civil de todo o país.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

 

Continua após a publicidade
Publicidade