Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Covid-19: Rio não vai antecipar segunda dose da vacina Astrazeneca

Apesar da orientação do governo do estado, secretário municipal Daniel Soranz explicou que vai seguir a recomendação do intervalo de doze semanas

Por Redação Atualizado em 13 jul 2021, 11h46 - Publicado em 13 jul 2021, 11h45

Apesar do anúncio do governo do estado de que vai antecipar a segunda dose da vacina AstraZeneca, diminuindo o intervalo de aplicação de doze para oito semanas, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse na terça (13) que o Rio, em princípio, não vai adiantar o emprego do imunizante.

+Chegou a vez dos 30: veja quem pode ser vacinado no Rio nesta semana

“No município a gente está acompanhando a bula da vacina e a recomendação do Ministério da Saúde. A vacina AstraZeneca tem 80% de eficácia quando o intervalo de aplicação é de 12 semanas ou mais. Quando você reduz esse intervalo para oito semanas, a eficácia da vacina vai para 59%. A gente perde 20% de eficácia na proteção individual para aquela pessoa. Então, a gente ainda está avaliando”, explicou o secretário.

Segundo ele, essa possibilidade de antecipação pode ser até considerada para os jovens, mas para os idosos e pessoas com comorbidade ainda não. “Não recomendaria isso para nenhum paciente meu. Eu manteria o intervalo de 12 semanas porque é o intervalo de maior eficácia para a vacina AstraZeneca. Essa é a posição da prefeitura”, complementou.

Quanto à imunização dos adolescentes no Rio, o cronograma prevê o mês de setembro, logo após a finalização dos adultos, em agosto.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Publicidade