Clique e assine por apenas 4,90/mês
Vinoteca Por Marcelo Copello, jornalista e especialista em vinhos Marcelo Copello dá dicas sobre vinhos

Receita leve e refrescante

Por Marcelo Copello   Sangria e Clericot são drinques feitos com vinho. Normalmente chama-se de  Sangria quando é com vinho tinto e o clericot quando o vinho é branco. Estes são drinques populares na Europa, principalmente em Portugal e mais ainda na Espanha, Mas porque não no Brasil? Afinal temos muito mais frutas que a Europa, temos […]

Por marcelo - Atualizado em 25 fev 2017, 19h04 - Publicado em 21 jun 2013, 13h56
Por Marcelo Copello

 

Sangria e Clericot são drinques feitos com vinho. Normalmente chama-se de  Sangria quando é com vinho tinto e o clericot quando o vinho é branco. Estes são drinques populares na Europa, principalmente em Portugal e mais ainda na Espanha, Mas porque não no Brasil? Afinal temos muito mais frutas que a Europa, temos um clima tropical que eles não tem e os vinhos brasileiros se adaptam muito bem a este drinque, principalmente os espumantes da uva Moscatel, que são baratinhos e deliciosos.

 

 

Vou dar aqui duas receitas muito simples e leves, que você vai adorar.

 

Primeira

Em uma jarra coloque:

– 1 garrafa de espumante moscatel bem gelado

– Suco de um limão verde, só o suco

– 5 morangos picados

– Algumas pétalas de rosas bem lavadas

– Bastante gelo

Continua após a publicidade

 

 

Segunda

Em uma jarra coloque

– 1 garrafa de vinho branco bem gelado

– Suco de um limão siciliano, aquele amarelo, só o suco

– Meia maça verde picada, sem as cascas

– 3 lichias picadas

– bastante gelo

 

Eventualmente coloco um pouco de água com gás para tornar a mistura ainda mais leve. Não gosto de usar refrigerantes que deixam o drinque menos natural e mais doce e artificial. Uma dica é fazer a sangria na hora, para as frutas ficarem frescas, e sempre usar ao menos uma fruta cítrica, como limão, laranja ou abacaxi. Se você usar o espumante moscatel não precisa colocar açúcar, mas se quiser fique à vontade. Uma sugestão é adoçar com mel ou licores como Cointreau.

 

O espírito deste coquetel é o improviso, unindo o vinho que sobrou com as frutas disponíveis. Use sua criatividade e adapte as receitas ao seu gosto.

 

Marcelo Copello (mcopello@simplesmentevinho.com.br)

Continua após a publicidade
Publicidade