Clique e assine com até 65% de desconto
Vinoteca Por Marcelo Copello, jornalista e especialista em vinhos Marcelo Copello dá dicas sobre vinhos

MERLOT, estrela subestimada

A Merlot é uma das mais fantásticas castas tintas do planeta vinho.

Por Marcelo Copello 25 nov 2017, 13h34

Por Marcelo Copello

A Merlot é uma das mais fantásticas castas tintas do planeta vinho. Basta dizer que dela é feito o Petrus, um dos maiores dentre os maiores (leia: Petrus, o vinho que todo merlot gostaria de ser.  )

Por proporcionar vinhos fáceis de beber a Merlot acabou sendo um tanto banalizada (muitos vinhos triviais feitos com ela mundo a fora) e hoje o consumidor em geral ou não a conhece ou torce o nariz.

Se você gosta de Merlot, tem que ler esta entrevista que fiz com Michel Rolland: http://www.marcelocopello.com/post/marcelo-copello-entrevista-michel-rolland-de-mr-merlot-ao-azerbaijao . Nela falamos que hoje a Merlot esta dentro de muitas garrafas em em poucos rótulos, pois o consumidor gosta de seu sabor, mas seu nome sofre preconceito.

A Merlot é a uva mais plantada em Bordeaux (mais que a Cabernet Sauvignon) e uma das tintas mais populares do mundo. Seus trunfos são, com já dito, sua capacidade de produzir vinhos fáceis de beber, em todos os níveis de qualidade, do dia a dia ás obras de arte. Outro trunfo da Merlot é a capacidade de se adaptar a climas frios, a Merlot vai aonde a Cabernet Sauvignon (CS) não vai.

História

Originária de Bordeaux seria descendente da Cabernet Franc e irmã da Carmenere. Conjectura-se que seu nome venha do Melro (em francês Merle), um pássaro negro que adora comer as uvas maduras.

Viticultura e Vinificação

Embora se adapte bem aos climas quentes a Merlot é uma uva que prefere os climas mais amenos. No calor a Merlot dá vinhos com taninos mais aveludados e de acidez mais baixa, com excesso de calor os vinhos podem ficar pastosos e com aromas de geléias. No frio os vinhos ficam mais equilibrados frescor e elegante, mas se for frio demais a Merlot pode ganhar taninos verdes e aromas herbáceos.

Ao ver um mapa mundi das áreas plantadas com CS e Merlot veremos que as duas estão quase sempre juntas. É interessante plantar as CS e Merlot na mesma região, como Bordeaux, pois em alguns anos, conforme o clima, a Merlot estará melhor que a CS e em outros ano, a CS será superior a Merlot. Desta forma os enólogos sempre tem boa matéria prima ára fazer um corte com CS e Merlot, alterrando a proporção de cada uma conforme o ano.

Bordeaux

Quando falamos de Bordeaux dividimos sempre a região em duas. Esta região é cortada ao meio pelo rio Gironde, na margem esquerda impera a CS, com plantações menores das outras uvas. Na margem direita quem manda é a Merlot, com menores proporções das outras. As uvas tintas permitidas em Bordeaux e plantadas em ambas as mergens são: CS, Merlot, Cabernet Franc, Petit Verdot, Malbec e Carménère.

Merlot – a vocação do Brasil

Existe um consenso entre especialistas brasileros que a Merlot é uva tinta que melhor se adaptou a Serra Gaúcha, nossa mais importante região vinícola. O motivo? A Merlot tem um ciclo de vida mais curto que a CS, ou seja colhe-se a Merlot mais cedo que a CS, e em anos em que temos muitas chuvas no fim da colheita, enquanto a CS pega chuva os cachos de Merlot já estão são e salvos na vinícola sendo transformados em vinho.

Cor: normalmente é uma tinta de bastante cor, com vinhos rubi escuro violáceos.

Aroma:

Frutas: a Merlot pode desenvolver uma ampla gama de frutas vermelhas e negras,  ameixa, ameixa seca, framboesa, morango, cassis, mirtilo, cereja, destas a mais típica é a ameixa, em regiões mais quentes chega a geléia de ameixa. Ela ajuda no blend com a CS também por aportar mais frutas à mistura

Vegetais/ervas: tabaco, pimentão ou herbáceos (em regiões frias se o vinho não amadureceu bem), musgo, hortelã (em regiões frias)

Especiarias baunilha, alcaçuz, cravo, canela

Animais (couro, caça, defumados),

Madeiras carvalho, cedro

Tostados: (é típico da Merlot um toque achocolatado, além de café (este depende mais se a madeira foi bem tostada), amendoa tostada

Sabor

Doçura: o típico Merlot é seco, mas macio e com textura aveludade

Acidez: geralmente vai de moderada a baixa. Em Bordeaux a acidez costuma ser boa embora menor que a acidez da Cabernet Sauvignon e principalmente da Cabernet Franc

Corpo: geralmente tem bom corpo, com bom meio de boca, são tintos mais carnudos largos e hotizontais, emquanto o Cabernet Sauvignon é mais vertical, com uma sólida espinha dorçal de taninos. Digamos que no corte bordalês a Cabernet são os ossos e a Merlot a carne deste corpo

Álcool: geralmente igual a da CS, em Bordeaux vai de 12-14% no Novo Mundo geralmente é mais, 13-15%

Regiões prinpripais: está em todo o mundo. Onde há CS geralmente tb plantam Merlot, pois são eternas companheiras, um casamento clássico.

Em termos de qualidade e prestígio, Bordeaux reina absoluta quando falamos em Merlot. Fora de Bordeaux boas regiões são o Califórnia, Chie, Friuli (norte da Itália), Argentina, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Laguedoc (França), sem esquecer da Serra Gaúcha, no Brasil.

Continua após a publicidade

Histórias e curiosidades:

– Normalmente a Merlot não envelhace bem, ou no caso de Bordeaux, envelhece sim, mas menos dos que os cortes com mais CS.

– O bordalês Petrus é de longe o maior íconde de Merlot do mundo, feito com corte que confirme o ano pode ter uma ínfima parte de Cabernet Franc para lhe dar acidez. O Petrus 1961 é considerado um dos vinhos mais perfeitos de todos os tempos e uma garrafa sua custa mais que um carro. Um aroma típico do petrus é o aroma de ferrugem, devido a seu solo de argila escura com subsolo rico em ferro.

– Michel Rolland é o anólogo mais famoso do mundo e é também o maior especialista em Merlot. Ele adora os vinhos ultra encorpados, com muito alcool, muita madeira, carnudos e macios.

– A Merlot tem estilo muito versátil, conforme a região, clima e vinificação, pode ir de um “quase-Pinot ” até um “quase-Cabernet”

– Em termos estilo , podemos citar dois padrões principais, Bordeaux e Novo mundo,

Curiosidade: Há um “eno-provérbio” americano que diz que a “Merlot is the Cabernet Sauvignon without the pain” – Merlot é a CS sem dor

Curiosidade: Em 2004 fez tanto sucesso nos EUA o filme Sydeways, que as vendas de Pinot Noir subiram e as de Merlot caíram. O motivo? O personagem principal adorava a primeira e detestava segunda. Mas não ficou por aí, produtores de Merlot se uniram e financiaram um filme chamado “MerLov”, como resposta ao Sydeways.

Curiosidade: ate pouco tempo a Merlot era confundida com Carmenere no Chile, as plantas de Merlot e Carmenere eram plantadas misturadas nos vinhedos (lei sobre Carménère: http://www.marcelocopello.com/post/conheca-a-carmenere-historia-curiosidades-e-vinhos )

VINHOS

BRASIL

http://www.marcelocopello.com/vinho/miolo-merlot-terroir-d-o-2012-miolo

http://www.marcelocopello.com/vinho/terragnolo-top-merlot-2012-terragnolo

http://www.marcelocopello.com/vinho/pizzato-dna-99

http://www.marcelocopello.com/vinho/zelindo-2008-suzin

FRANÇA

http://www.marcelocopello.com/vinho/petrus-1970-chateau-petrus

http://www.marcelocopello.com/vinho/chateau-clinet

CHILE

http://www.marcelocopello.com/vinho/marques-de-casa-concha-merlot-2011-concha-y-toro

http://www.marcelocopello.com/vinho/almaviva-2012

ARGENTINA

http://www.marcelocopello.com/vinho/angelica-zapata-merlot-2009-bodega-catena-zapata

ITÁLIA

http://www.marcelocopello.com/vinho/planeta-merlot-2010-planeta

URUGUAI

http://www.marcelocopello.com/vinho/bouza-merlot-b9-2011-bouza

EUA

http://www.marcelocopello.com/vinho/l-ecole-n-41-merlot-2008-michelle-wine-estates

Photo by Kym Ellis

Continua após a publicidade
Publicidade