Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Manu Müller Por Manu Müller, designer de interiores Novidades e tendências de decoração

Decoração minimalista: passo a passo para aderir

Dicas de como montar ambientes neste estilo

Por Manu_Müller Atualizado em 2 fev 2021, 16h47 - Publicado em 2 fev 2021, 12h38

Adoro a máxima clássica “menos é mais” que bem descreve a essência do movimento minimalista que começou no século passado – já se deu conta que o século XX ficou para trás? – e influenciou a arquitetura, a arte e o design. O minimalismo despertou também um lifestyle um tanto desapegado, não consumista e autolibertado da pressão social do “ter para ser”, que busca justamente o oposto: “ser e ter o mínimo”. Já parou para imaginar?

A ideia central do minimalismo é valorizar aquilo que é essencial ao nosso dia a dia. Praticidade, simplicidade, função, conforto – e eu adiciono charme – devem direcionar a escolha dos raros móveis e elementos decorativos, todos discretos, que irão permanecer e compor o seu ambiente minimalista, valorizando o vazio dos espaços, a iluminação natural, o famoso estilo clean, ou seja, apenas o essencial, visualmente simples e esteticamente “limpo”.

imagem mostra uma sala grande com poucos moveis
Arquivo Pessoal/Reprodução

 

Se você ainda tem dúvida se vai conseguir desapegar daqueles objetos e lembranças que você ou alguém trouxe de viagens, ou daqueles móveis que eram da sua bisavó, ou talvez dos presentes do primeiro casamento, a coleção de figurinhas, cadernos de stickers dos tempos da escola, e outras coisas mais que você juntou durante a vida inteira – e ficar bem de cabeça – comece bem devagar, apenas com um ambiente, ou com sua mesa de trabalho, ou apenas uma gaveta ou até o porta-lápis, que seja, mas confira o passo a passo, sem compromisso, e deixe-se levar por essa experiência no mínimo inusitada.

Escolha do ambiente

Para você experimentar o prazer de ter um refúgio do mundo caótico com um ar clean e iluminado, espaço de sobra para circulação e funcionalidade, o primeiro passo é escolher o ambiente certo para começar.

Uma boa alternativa seria começar pelo seu quarto de dormir para dar aquela sensação de desligamento da nossa rotina corrida do dia a dia ao deitar. Quem tem dificuldade para dormir ou desacelerar, mesmo depois de um dia exaustivo, um quarto em tons suaves sem objetos é tudo de bom, né? E garanto que o seu sono vai ser bem mais leve, profundo e, principalmente, revigorante!

Opte por um quarto na cor branca, com uma cabeceira simples reta, sem muita informação. Como a decoração minimalista pede o mínimo de informação visual possível, prefira móveis e objetos com design em linha reta. Essa dica é importante porque, diferente das curvas e estampas, as linhas retas harmonizam melhor entre si e trazem um ar de modernidade e leveza visual.

Faça da cama o foco central do ambiente e acrescente apenas um ou outro móvel de apoio, como uma mesa de cabeceira ou um cabideiro. Uma dica boa é investir em peças polivalentes, ou seja, que podem assumir mais de uma função no cômodo – um baú por exemplo pode servir de assento, de apoio para objetos e ainda guardar aqueles objetos mais difíceis de desapegar!

Prefira tecidos brancos ou em tons sóbrios e, se você gosta de uma cor, use almofadas da mesma cor, sempre com tecidos lisos ou pouco estampados.

Para experimentar o minimalismo na sua cozinha, a dica é investir em móveis planejados. Além de aproveitarem bem o espaço, eles também podem ser desenhados com poucos detalhes para interferir minimamente no visual do ambiente. Nada mais agradável do que uma cozinha organizada unindo beleza e funcionalidade, como embutir no armário o escorredor de louças ou ter uma tampa para cuba da pia. Uma dica final para os armários: evite usar puxadores para deixá-los mais leves e camuflados. Os tons neutros e as formas limpas predominam. Use e abuse de materiais naturais como a madeira, que trazem um frescor e elegância para sua cozinha. Fica chique na medida certa!

Continua após a publicidade

Hora do desapego!

Convido você a começar pelo passo mais difícil que é desapegar de tudo que você não precisa para, com isso, liberar espaço somente para o essencial no ambiente escolhido. Você deve escolher apenas os itens que você realmente usou nas últimas duas ou três semanas – no máximo – e que trazem de fato algum valor para sua vida cotidiana. Não vale aquela poltrona que “vou usar um dia com certeza”, nem aquela cômoda com gavetas cheias de coisinhas que “tem um valor sentimental” ou que “depois eu arrumo”.

Depois da difícil escolha do que fica e do que vai, vem a grande recompensa! Todos os itens não usados podem ser embalados e doados para que outras pessoas possam dar um uso a eles. Adeus!

TOC de limpeza

Já imaginou como fica fácil a limpeza de um ambiente com bastante espaço e poucos móveis? Após retirar tudo que não tem função essencial e eliminar os excessos, chegou a melhor parte para quem tem TOC de limpeza: dia da faxina geral! Limpe bem os poucos móveis que sobraram e, se estiver com muita inspiração, renove a pintura com a tradicional cartela minimalista de cores neutras como branco, cinza, bege e preto ou, se achar um pouco sem vida, sem cor ou sem graça, vale arriscar o uso pontual – e muito parcimonioso – de uma única cor um pouco mais vibrante que pode dar um charme bem especial.

Espaço aberto e muita luz natural

imagem mostra uma escrivaninha na sala com luz natural e janelas
Arquivo Pessoal/Reprodução

Deixe a luz natural invadir a sua casa! Um elemento fundamental para completar um ambiente minimalista é certamente a iluminação. A claridade proporciona o “ar de limpeza” a que o estilo se propõe. Sempre que possível você pode apostar em janelas, portas e claraboias grandes de vidro, sem divisórias ou fixas, para aproveitar ao máximo a luz natural do sol. Se o seu ambiente precisar de iluminação não natural para ficar claro e iluminado, prefira sempre luminárias ou pendentes pequenos e pouco chamativos. Invista em lâmpadas em LED amarelas – por favor evite as brancas – para trazer mais leveza, elegância e modernidade. Espelhos ajudam muito na iluminação e são capazes de dar uma sensação de amplitude e claridade aos espaços – mas esse tema fica para uma próxima.

O minimalismo pode transformar a sua casa, ou parte dela, num refúgio do caos do mundo externo que transmite paz, serenidade, acolhimento, conforto, beleza e praticidade. E é claro muita elegância! Não custa nada experimentar!

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade