Clique e assine por apenas 4,90/mês
Julia Golldenzon Por Julia Golldenzon, estilista carioca

Em tempos de Trump e #MeToo, looks do Oscar ficam mais discretos

Renée Zellweger e Margot Robbie escolhem roupas que não devem aparecer mais do que elas

Por Julia Golldenzon - 10 fev 2020, 17h03

Sem decotes, Sem excessos. A fantasia e o drama deram lugar a looks menos ousados no Oscar 2020. Em tempos de Trump e de #MeToo, os vestidos do tapete vermelho, que costumam ocupar bastante a mídia que cobre a cerimônia de premiação, foram mais discretos de modo geral.

As atrizes escolheram roupas que não deveriam aparecer mais do que o que importa ali: o trabalho delas. E deu certo. Lembram quando Jennifer Lawrence levou um tombo por conta de seu dramático vestido Dior e que no dia seguinte todos falavam do look, não do desempenho no filme? Foi disso que elas fugiram desta vez.

Boa parte das grandes estrelas optou por cores sóbrias, como preto e branco – exatamente as que compõem o dress code tradicional dos homens no Oscar. Renné Zellweger, eleita a Melhor Atriz em “Judy”, escolheu um vestido branco longo de um ombro só Armani Privé todo bordado de paetês numa modelagem clássica, bem próxima do cor. Simplicidade com elegância.

O uso da moda de maneira consciente também esteve em pauta no look vintage de Margot Robbie, um discreto vestido longo preto tomara-que-caia emprestado dos arquivos da Chanel da coleção de 1994. Com esta escolha, ela mostrou que roupas clássicas são atemporais e podem ser usadas 25 anos depois. Simplicidade com elegância para repetir roupa.

Em protesto por nenhuma diretora ter sido indicada ao prêmio de Melhor Direção, Natalie Portman utilizou um recurso muito comum entre noivas: bordar nomes de amiga na barra do vestido. A atriz usou uma sobrecapa preta com os nomes de diretoras como Greta Gwerwig (“Adoráveis mulheres”) e Melina Matsoukas (“Queen & Slim”) bordados em dourado em toda a costura. Por isso, foi um dos looks que mais chamou a atenção. Simplicidade com elegância para protestar.

A combinação das cores rosa bebê e preto pode ser apontada como uma tendência no tapete vermelho e apareceu nos looks de três atrizes, entre elas, Laura Dernn, a vencedora de Melhor Atriz Coadjuvante por “Histórias de um casamento”.

Como costumam dizer na moda, simplicidade é o novo preto. Foi, portanto, um Oscar que consagrou o estilo menos é mais.

Julia Golldenzon é estilista.

Continua após a publicidade
Publicidade