Clique e assine com até 65% de desconto

‘Amo Tia Surica. Muito melhor estar com ela que com o Crivella’, diz Paes

Ex-prefeito não foi a debate na CNN e participou, no mesmo horário, de festa na quadra da Portela; ele alega que não havia confirmado presença à TV

Por Cleo Guimarães Atualizado em 18 nov 2020, 13h47 - Publicado em 18 nov 2020, 12h23

A doze dias da disputa do segundo turno das eleições municipais com Marcelo Crivella (Republicanos), Eduardo Paes (Democratas) deixou de comparecer ao debate marcado pela CNN Brasil, na noite desta terça (17) para ir à comemoração pelo aniversário de 80 anos de Tia Surica, matriarca da Portela.

Porta dos Fundos: ‘A censura perdeu de novo’, diz advogado

A festa, na quadra da escola, foi transmitida em forma de live, e o candidato ainda aproveitou para ironizar seu oponente: “Eu vim trazer um beijo do Crivella. Ele pediu para eu vir aqui!”, disse Paes à aniversariante. O comentário foi uma resposta a Surica, que segundos antes havia hostilizado o bispo licenciado da Universal, que tenta a reeleição: “No segundo turno você vai ser nosso prefeito, porque Deus é poderoso. Aquele filho da p… não pode ganhar!”. O assunto Paes-Surica foi o mais comentado no Twitter na manhã desta quarta (18). Portelenses como a cantora Teresa Cristina compartilharam o vídeo em suas redes, veja ao final da reportagem.

VEJA Rio Comer & Beber: saiba como assistir ao prêmio

A Tia Surica é o amor da minha vida. Muito melhor ir para a festa dela do que ficar olhando para o Crivella”, disse Eduardo Paes a VEJA RIO. Paes também afirma ter mais interesse “em falar com quem ele destruiu a vida” do que propriamente com o candidato. O ex-prefeito alega que não havia confirmado participação no debate – a CNN, afirma, teria divulgado sua presença sem autorização. “Tomei a decisão de ir ao da Band, geralmente o primeiro, e ao debate da TV Globo, o último. No da Record eu não vou, por motivos óbvios”, afirmou.

Oficina do Pastel fecha as portas depois de 41 anos na Gávea

Continua após a publicidade

Para o cientista político Felipe Borba, da UniRio, ao trocar o debate pela festa na quadra da Portela, Paes aposta na estratégia de reforçar o seu lado popular e a ligação com o Carnaval do Rio, além de “esfriar” a campanha. “Ele está liderando com folga, não tem por que promover uma superexposição neste momento”, diz.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Sem a presença do candidato do Democratas, a CNN promoveu uma entrevista de 30 minutos com Crivella. Nesta meia hora, ele chamou seu adversário de “fujão”, pôs em xeque recentes levantamentos do Ibope e se referiu reiteradamente à TV Globo como “Globolixo”. Acabou sendo repreendido pela âncora da emissora, Monalisa Perrone, que avisou: ataques a pessoas ou instituições não seriam bem-vindos, já que este seria um momento “propositivo”.

Continua após a publicidade
Publicidade