Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Karol Conká: ‘Agora sou a nova Carminha, a nova Nazaré, né?’

Ela se comparou a vilãs da TV e disse a Ana Maria Braga que buscará ajuda psiquiátrica; para apresentadora, signo da rapper ajuda a explicar suas atitudes

Por Da Redação 24 fev 2021, 13h04

Eliminada do Big Brother Brasil com quase 100% de rejeição, Karol Conká foi entrevistada por Ana Maria Braga na manhã desta quarta (24), no “café da manhã” mais esperado deste ano. O público estava ansioso para ver como Karol reagiria aos questionamentos da apresentadora – se baixaria o tom e reconheceria seus erros, ou se manteria a postura de “bater de frente” com quem quer que fosse. Deu a primeira opção.

A culpa da minha saída foram as minhas atitudes péssimas”, disse a rapper, ao ser perguntada sobre o motivo que a levou a sair da casa com 99,17% dos votos do público. “Não tem muita coisa para dizer. Eu pedia para sair porque eu sentia a dor do remorso, da culpa. Eu sentia uma amargura. Eu estava me sentindo ácida. Eu me perdi no jogo, me perdi de mim e acabei me entregando para esse lado mais azedo”.

Baleia ‘empolgadona’ faz a festa no mar de São Conrado; veja o vídeo

Envergonhada, Karol chegou a tapar os olhos em alguns momentos, quando imagens de brigas e desavenças foram reprisadas. “Meu Deus, estou passando uma vergonha aqui em rede nacional. Não tinha visto essa cena ainda, estou vendo agora”, disse, ao ver seu desentendimento com Carla Diaz por ciúmes de Arcrebiano, o Bill. Karol a acusou de tentar seduzi-lo mas, as câmeras mostraram, isso não existiu. A rapper e o rapaz haviam se beijado timidamente um pouco antes.

“Eu realmente acreditei que aquilo estava acontecendo. Infelizmente eu acabei explodindo, não aceitando o fato de estar sentindo ciumes naquela hora. É coisa de gente controladora. Não deu tempo de me apaixonar por ele. Eu estava carente, ele demonstrou interesse. Eu me interessei pelo interesse dele por mim. Fui completamente boba, descontrolada”.

Covid-19: vacinação de idosos no Rio será retomada na quinta (25)

Em determinado momento, Ana Maria deu a entender que o signo zodiacal de Karol teve forte influência em seu comportamento e em muitas de suas atitudes reprováveis. “Ela é capricorniana. Fui ler um pouco sobre o signo e descobri que capricórnio é um signo de pessoas excêntricas, que não se adaptam facilmente às regras pré-estabelecidas, podem ser controladoras e pretensiosas”, disse. Pronto. Capricornianos enfurecidos foram às redes para defender suas qualidades e, em suma, dizer: “Não sou assim, não!”.

Abaixo, alguns trechos da entrevista de Karol a Ana Maria Braga:

Continua após a publicidade

“Passei a noite muito bem com meu filho e minha mãe. Cochilei por uns 40 minutos. Fiquei conversando com eles e vendo algumas coisas nas redes. Sou a nova Carminha, né? Nazaré, algo do tipo. Mas essa vilã não é real aqui fora. Se fosse, eu não teria conquistado tanta coisa aqui”. (Sobre a volta ao mundo “real”, fora do confinamento)

“Que baixaria. A gente conversou na festa, ela entendeu o ponto que eu falei que não quero ver duas mulheres pretas brigando. Ali eu já estava irritada porque já tinha rolado a treta com o Gil e eu fui tirar satisfação. Eu causei perturbação na casa, eu levei a minha perturbação pra casa e acabei jogando nos outros e fazendo com que eles ficassem tristes”. (Sobre a briga com Camilla de Lucas)

‘Deise do Tombo’ faz vaquinha e compra casa para vizinha com câncer

“Eu me considero uma pessoa segura, mas dentro da casa eu senti muita insegurança porque eu não sou acostumada a conviver com muitas pessoas diferentes, dentro de uma casa, sem controle das minhas coisas. Se eu soubesse que ia ser dessa forma, eu não tinha nem entrado. Eu ia fazer um tratamento antes. São traumas, gatilhos, que são despertados através de algumas situações ali. Com o Lucas, eu lembrava de momentos com meu pai. Eu não estou acostumada a resolver as coisas com carinho. Não na minha família, mas em colégio, trabalho… Nada justifica, são coisas minhas mesmo. Coisas que estou descobrindo agora. É importante realmente falar sobre isso. Eu estava bem vulnerável ali. Estou colhendo o que eu plantei”. (Falava-se sobre insegurança e a desavença com Lucas, que pediu para sair do programa depois de ser humilhado por Karol)

“Eu me arrependo. Se eu soubesse que eu ia chegar toda estragada lá dentro, eu não tinha entrado. Me arrependo porque o Brasil não merece esse tipo de entretenimento, minha família não merece isso. Estão me apedrejando. Não cometi nenhum crime. Eu perdi o controle, me desequilibrei, me descontrolei.” (O assunto era arrependimento de participar do jogo)

“Eu acho que o que eu posso levar dessa situação é entender que eu tenho sanidade pra procurar ajuda psiquiátrica. Eu tenho traumas aqui que não se mostram em entrevistas, em um álbum, se mostram em situações como lá no jogo, com pessoas estranhas, confinadas em uma casa. Peço desculpas a todos os envolvidos nas tretas, aquela vilã ficou lá dentro”. (O que será daqui pra frente)

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

 

Continua após a publicidade
Publicidade