Clique e assine por apenas 4,90/mês

Coronavírus: ‘Dominamos a pandemia’, diz Crivella, que vai liberar futebol

Prefeito inclui igrejas e templos entre as atividades essenciais e afirma que ainda não há previsão de volta às aulas ou reabertura de bares e restaurantes

Por Cleo Guimarães - Atualizado em 25 Maio 2020, 14h58 - Publicado em 25 Maio 2020, 13h54

O prefeito Marcelo Crivella começou a divulgar as primeiras medidas de relaxamento do confinamento na cidade. Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (25), ele anunciou que os clubes de futebol do Rio estão liberados, desde já, a fazer trabalhos de fisioterapia e de manutenção da forma física em seus atletas – os treinos com bola, “os coletivos e rachões”, só serão permitidos a partir de junho. “Em julho, depois de uma avaliação do corpo técnico, voltam os jogos sem torcida”. A volta do futebol é uma questão polêmica, defendida com ardor pelo presidente Jair Bolsonaro, com quem Crivella se encontrou na quinta-feira (21). “Espero que o Marcelo Crivella resolva autorizar a volta do campeonato carioca”, disse Bolsonaro numa live, no mesmo dia. O prefeito se reuniu com representantes dos clubes do Rio no fim de semana para debater o assunto.

Covid-19: Estado do Rio tem 37.912 casos confirmados da doença

Chamado de “decretão” pelo prefeito, o conjunto de medidas mais duras tomadas em março – a determinação do fechamento de bares, restaurantes, shoppings e escolas e a proibição do acesso às praias – ainda não entrou em debate, apesar de o prefeito ter recebido estudos com sugestões de cronogramas para a volta gradual dessas atividades. As aulas, se o estudo fosse colocado em prática, poderiam voltar no dia 1º de junho “Não estamos falando isso ainda. As aulas continuam mantidas no afastamento. Tudo o que está no decretão fica mantido”, disse.

Pandemia faz surgir serviços de streaming dedicados ao público infantil

Em seu pronunciamento, o prefeito anunciou a inclusão de igrejas e templos entre as atividades consideradas essenciais no município, “para evitar que a Polícia Militar constranja quem for professar sua fé, sem aglomerações”. Os próximos setores da economia que devem ter sua abertura flexibilizada é a indústria moveleira e as lojas de revenda de automóveis. “Lojas de móveis e concessionárias de veículo não têm risco de aglomeração, podem voltar a funcionar”. A prefeitura está analisando os protocolos sugeridos pelas academias de ginástica para voltarem às atividades e a expectativa é que já haja algum relaxamento nas medidas daqui a uma semana, quando expira o decreto que foi prorrogado hoje. As atualizações das medidas, exceto as do “decretão” serão reavaliadas semanalmente.

Covid-19: Vital Brazil e UFRJ testam soro para tratar a doença

O prefeito e a secretária de Saúde Beatriz Busch anunciaram também que a plataforma oficial da prefeitura sobre o coronavírus – que havia deixado de mostrar diariamente na internet as mortes pela doença – voltará a fazê-lo, mas agora com base em dados informados pelos cemitérios que constam nas certidões de óbito, e não após a confirmação dos dados em exames laboratoriais. Para Crivella, o momento é de comemoração. “Estamos animados”, disse. “Há um otimismo em todos nós porque controlamos a pandemia, não houve caos e estamos dando alta a muitas pessoas”. O município tem, nesta segunda-feira, 21.775 casos confirmados da doença e 2.755 mortes.

Para assinar Veja Rio clique aqui

Continua após a publicidade
Publicidade