Clique e assine com até 65% de desconto

Aniversário de Paulinho da Viola: as músicas mais tocadas

Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida é muito mais que uma canção de amor e redenção à Portela

Por Marcela Capobianco 12 nov 2020, 14h14

Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida é muito mais que uma música – e o título de um LP – em homenagem à escola de samba Portela. A canção, escrita no finalzinho da década de 60, também é a mais tocada – e a mais gravada por outros intérpretes – de Paulinho da Viola, que completa 78 anos nesta quinta (12).

+ Lelo Forti: “Balcão de bar é o lugar mais democrático do mundo”

O grande sucesso surgiu como uma espécie de redenção, após o artista ter feito a melodia de uma canção exaltando a rival Mangueira. Em 1968, durante uma visita à casa do poeta e produtor Hermínio Bello de Carvalho, Paulinho da Viola, que àquela altura era um celebrado compositor de sambas-enredo da Azul e Branco de Madureira e Oswaldo Cruz, viu quatro letras que o amigo mangueirense acabara de escrever. Paulinho se interessou por um desses escritos e, na mesma hora, compôs a melodia de Sei Lá, Mangueira.

+ Tonico Pereira: “Nasci para quebrar protocolos”

Sem avisar ao portelense, Hermínio Bello de Carvalho inscreveu a parceria recém saída do forno num festival de canções, e a música estourou. Paulinho, então, se sentiu em dívida com a sua escola do coração. Logo depois, veio a inspiração para Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida que é, além de uma das mais belas canções brasileiras, um pedido de desculpas à Portela, mesmo que nenhum baluarte da escola tenha lhe cobrado alguma satisfação.

Para marcar o aniversário de Paulinho da Viola, o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad) preparou um levantamento sobre as músicas mais tocadas do cantor, compositor e instrumentista nos últimos cinco anos.

+ Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Paulinho tem 229 obras musicais e 543 gravações cadastradas no banco de dados do Ecad. Nos últimos cinco anos, a maior parte de seus rendimentos em direitos autorais foi proveniente dos segmentos de shows, música ao vivo e TV, que correspondem a mais de 75% do que foi destinado a ele.

+ Três obras para conferir na despedida do Museu Casa do Pontal

Veja o ranking:

Continua após a publicidade

1 – Foi Um Rio Que Passou em Minha Vida (Paulinho da Viola)

2 – Coração Leviano (Paulinho da Viola)

3 – Argumento (Paulinho da Viola)

4 – Dança da Solidão (Paulinho da Viola)

5 – Pecado Capital (Paulinho da Viola)

6 – Timoneiro (Hermínio Bello de Carvalho e Paulinho da Viola)

7 – Onde a Dor não Tem Razão (Elton Medeiros e Paulinho da Viola)

8 – Sinal Fechado (Paulinho da Viola)

9 – Na Linha do Mar (Paulinho da Viola)

10 – Rosa de Ouro (Elton Medeiros, Hermínio Bello de Carvalho e Paulinho da Viola)

Continua após a publicidade
Publicidade