TEATRO

Ricardo III

Montagem equilibra inovação cênica e respeito à obra original

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪✪

NILL CANINÉ/DIVULGAÇÃO
(Foto: Redação Veja rio)

Capturar a essência de uma peça que está entre as mais conhecidas do planeta, trabalhar esse conteúdo sob um novo prisma e, como se não bastasse, fazer surgir daí uma montagem de qualidade, perfeitamente equilibrada entre a inovação cênica e o respeito ao cânone, é tarefa para poucos. Assim, é digna de aplausos a parceria entre o diretor Sergio Módena e o ator Gustavo Gasparani nesta curiosa versão do clássico de William Shakespeare. Inspirado no monarca que governou a Inglaterra entre 1483 e 1485, o autor concebeu o pérfido nobre que dá nome à peça, mostrado em sua ascensão ao trono (à custa de muito derramamento de sangue) e posterior decadência. Com cinco atos, dezenas de personagens e, em suas montagens mais tradicionais, quase quatro horas de duração, o texto ganha aqui uma adaptação enxuta, com Gasparani apresentando a história ao longo de uma hora e meia. O ator recebe o público como se fosse proferir uma palestra ? o figurino contemporâneo e a cenografia evocativa de uma sala de aula reiteram essa intenção. Após um breve introito, ele vai se desdobrando em vários personagens para deslindar a trama, usando de forma criativa e lúdica objetos prosaicos, como uma mesa, uma régua ou um conjunto de pilots, para dar vida às cenas. Com uma atuação limpa, sem exibicionismos gratuitos, Gasparani confirma seu reconhecido talento ao incorporar trejeitos e personalidades inteiramente distintos. Imperdível (90min). 12 anos. Estreou em 11/1/2014.

Espaço Sesc ? Mezanino (70 lugares). Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, ☎ 2547-0156. Quarta a sábado, 21h; domingo, 19h30. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 15h (qua. a dom.). Até 2 de fevereiro.

Fonte: VEJA RIO