TEATRO

As Mulheres de Grey Gardens - O Musical

Levada à Broadway em 2006, a história chega aos palcos brasileiros pelas mãos do diretor Wolf Maya

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Arthur Seixas/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Em 1975, os irmãos Albert e David Maysles lançaram Grey Gardens, documentário no qual abordavam a relação entre Edith Ewing Bouvier Beale (1895-1977) e sua filha Edie (1917-2002), respectivamente tia e prima de Jacqueline Kennedy. Oriundas de uma família de posses, as duas passaram seus últimos anos juntas, em profunda decadência, na propriedade que dá nome ao filme. Além da penúria, porém, chama atenção a relação de amor e ódio, sempre simbiótica, que elas desenvolveram. Levada à Broadway como um musical, em 2006, a história chega aos palcos brasileiros pelas mãos do diretor Wolf Maya. Soraya Ravenle, um portento, encarna duas personagens: no primeiro ato, passado em 1941, é a jovem Edith, e no seguinte, em 1973, é Edie mais velha. Carol Puntel faz Edie na juventude, e Suely Franco, excelente, interpreta Edith na velhice. A maioria das músicas não apenas emoldura a ação, mas faz as vezes de diálogo. A impactante cenografia de Bia Junqueira põe no palco uma montanha de lixo, evocando a real imundície na qual mãe e filha viveram (120min, com intervalo). 10 anos. Estreou em 15/3/2013.

Sala Municipal Baden Powell (400 lugares). Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana, ☎ 2255-1067. Quinta, 20h; sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 80,00 a R$ 100,00. Até dia 21.

Fonte: VEJA RIO