TEATRO

Um conto russo

Elenco afiado leva ao palco, na íntegra, Amorzinho, texto curto de Anton Tchekhov

Por: Carlos Henrique Braz - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

roteiro-teatro-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Com ótimo resultado, Aderbal Freire-Filho levou ao palco a íntegra dos livros O que Diz Molero, do português Dinis Machado, e O Púcaro Búlgaro, de Campos de Carvalho, em processo batizado de romance em cena. Atores das duas montagens, Orã Figueiredo e Raquel Iantas usaram o mesmo modelo em Amorzinho, um Conto de Tchekhov ? e acertaram a mão.

Ele, desta vez, assina a direção. Raquel dá vida à protagonista Olenka. Também integram o elenco

Lourival Prudêncio e Sávio Moll, dupla com versatilidade suficiente para interpretar outros doze papéis. O trio conta, em apenas uma hora, a história da mulher russa para quem a vida só ganha sentido quando se ama alguém. Olenka foi casada, e enviuvou, duas vezes. Conheceu o empresário de teatro Kukin e, em seguida, o comerciante de madeira Vassíli. Tempos depois, tenta reconstruir a vida amorosa ao lado de um veterinário do Exército da Rússia, mas ele é casado. Pela maneira como é defendido em cena, o espetáculo cativa a plateia em dose dupla: executa a contento a complexa carpintaria teatral proposta e sublinha, através das interpretações, a variedade de matizes do comportamento humano que marca a obra de Tchekhov.

Amorzinho, um Conto de Tchekhov (60min). 10 anos. Estreou em 4/8/2011. Teatro do Jockey (100 lugares). Rua Mario Ribeiro, 410, Gávea, ☎ 3114-1286. Sexta a domingo, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 14h (sex. a dom.). Estac. grátis. Até domingo (4).

Fonte: VEJA RIO