SHOWS

Para Gil e Caetano

Com homenagem aos conterrâneos, a baiana Margareth Menezes comemora 25 anos de carreira no Teatro Rival

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

roteiro-shows-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Em 1990, um acidente de carro matou o baterista Pedro Gil, de 19 anos. Devastado, seu pai, Gilberto Gil, cancelou a apresentação prevista para dias depois no festival Hollywood Rock. Foi substituído às pressas por uma cantora iniciante que, apesar da missão arriscada, arrancou elogios. Hoje consagrada, Margareth Menezes reencontra Gil, e Caetano Veloso, através do repertório de seus conterrâneos baianos.

Em apresentação inédita, vai celebrar a dupla no Teatro Rival, na sexta (3) e no sábado (4).

Em 25 anos de carreira, a intérprete de voz marcante experimentou um bocado. Veio do teatro e testou outros gêneros antes de se render ao universo dos trios elétricos de sua terra natal ? na folia baiana, já cantou para multidões ao lado de Carlinhos Brown e Daniela Mercury. Fora dela, desenvolve pesquisas sobre o afropop brasileiro para produzir um DVD, com lançamento apontado para o fim do ano. Antes, presta esta homenagem à dupla ilustre. "Eles estão fazendo 70 anos em 2012, tiveram papel fundamental na formação musical da minha geração, são minha referência de construção de ideias,

imagens e arte", explica.

Ao vivo, só haverá espaço para canções dos dois. O formato vai ser quase acústico: Margareth divide o palco com o convidado Alexandre Leão (cantor e compositor), o guitarrista Théo Silva e os percussionistas Guto Messias e Daniela Pena. Em uma sequência de 24 músicas, aparecem A Tristeza, Odara e Força Estranha, de Caetano Veloso. De Gil, foram escolhidas, entre outras, Estrela, Tempo Rei, Se Eu Puder Falar com Deus e Metáfora.

Margareth Menezes ? Para Caetano e Gil. 16 anos. Teatro Rival Petrobras (472 lugares). Rua Álvaro Alvim, 33, Cinelândia, ☎ 2240-4469, ? Cinelândia. Sexta (3) e sábado (4), 19h30. R$ 65,00. Bilheteria: 15h/21h (seg. a qui.); a partir das 15h (sex. e sáb.). → IC. www.rivalpetrobras.com.br.

Fonte: VEJA RIO