SHOWS

Ritmo e poesia sem fronteiras

Treze rappers do Brasil, de Portugal e de Angola dividem o palco do Teatro Sesi

Por: Rafael Cavalieri

Rafael Sorin/Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Calças largas, camisas compridas, correntes, tatuagens: esses sinais que identificam uma tribo musical bem específica serão vistos aos montes no ponto alto do Festival Terra do Rap, que desde o último dia 18 espalha sua programação por unidades do Sesi no estado. Na quinta (31), o Teatro Sesi Centro recebe o Fita Misturada, espetáculo com treze rappers de países lusófonos, Brasil, Portugal e Angola. A seleção dos nomes foi feita por Vinicius Terra, um dos idealizadores do festival. Ele levou em conta a relevância artística e o discurso nas letras quase sempre politizadas. Eva R­­ap-Diva e Kid MC são de Angola. Um episódio com jeito de rolezinho dá conta do prestígio de Kid. Ele levou mais de 20?000 pessoas a uma praça da capital, Luanda, no meio da madrugada, para uma sessão de autógrafos de seu novo CD. De Leve, Don-L, Funkero, Nino Leal, Rodrigo Ogi, Vinicius Terra e Bob-X são os representantes do Brasil. Entre os de Portugal estão Capicua, Mundo Segundo, Sr. Alfaiate e Sam The Kid, o líder do Orelha Negra, influente banda daquele país. Ninguém vai ficar parado.

Teatro Sesi Centro (350 lugares). Avenida Graça Aranha, 1, Centro, ☎ 2563-4163. Quinta (31), 19h. R$ 10,00. Bilheteria: 12h/20h (seg.); a partir das 12h (ter.). IC.

Fonte: VEJA RIO