SHOWS

Tropicália made in USA

Devendra Banhart leva sua estética riponga ao palco do Circo Voador

Por: Rachel Sterman - Atualizado em

Wendell Teodoro/WireImage
(Foto: Redação Veja rio)

Nascido nos Estados Unidos e criado na Venezuela até os 14 anos, o cantor e compositor Devendra Banhart teve uma epifania ao ler o Manifesto Antropofágico, do modernista brasileiro Oswald de Andrade. A partir desse contato, começou uma estreita relação com as artes brasileiras, especialmente a música: o artista é chegado no tropicalismo. Em pouco mais de uma década de carreira, ele despontou na cena alternativa americana, com visual e sonoridade hippie, encaixando-se num estilo batizado freak folk (em tradução livre, folk esquisito). De volta ao Rio, apresenta o novo trabalho, Mala, que traz recente parceria com o melhor amigo, Rodrigo Amarante. Mais melódico e, segundo o próprio autor, mais maduro dos que os anteriores, o disco lançado no começo de 2013 é resultado dos últimos três anos dedicados ao desenho e às artes visuais. No repertório aparecem, entre outras, as inéditas Mi Negrita e Never ­Seen Such Good Things. 18 anos.

Circo Voador (2?000 lugares). Arcos da Lapa, s/nº, Lapa, ☎ 2533-0354. Quinta (14), 22h. R$ 180,00. Desconto de 50% com a apresentação do e-flyer ou 1 quilo de alimento não perecível. Bilheteria: 12h/19h (ter. e qua.); a partir das 12h (qui.). IC. www.circovoador.com.br.

Fonte: VEJA RIO