classe A

Camerata Diminuta passeia pela história da música

Os últimos três séculos do cancionário nacional serão pincelados pelo quarteto em seu novo show

Por: Redação VEJA RIO

Camerata Diminuta
Camerata Diminuta: show no Sesc (Foto: Divulgação)

Os fãs das raízes da música brasileira já sabem o que vão fazer neste sábado (9). Batizado de Estação Brasil: Festa da Música, o novo show do Camerata Diminuta tem como proposta pincelar os três últimos séculos das canções nacionais em novas versões. A missão é árdua, mas o quarteto formado por Daniela Spielmann (sax e flauta), Deborah Levy (piano e teclado), Mateus Ceccato (violoncelo) e Dhyan Toffolo (viola) vai encarar no Sesc Tijuca, a partir das 18h, como parte do projeto Sons da Casa Rosa. 

"O objetivo é revisitar a história da música brasileira e suas evoluções, revelando seus climas e sabores, de dentro do contexto social de cada época", explica a pianista Deborah Levy.

+ Veja os demais destaques de shows da cidade

Serenatas, salões e forrobodós, o primeiro bloco,  ilustra a música brasileira de meados do século XVIII até os últimos anos do século XIX e vai da modinha ao maxixe. O período histórico abordado em seguida, com Carnavais e Auditórios, abrange a transição entre o Império e a República, dos primeiros anos do século XX até a queda do Estado Novo, em 1945. Do choro, cultivado nas rodas promovidas nas casas das famílias de classe média, o ritmo passa para o samba, com representantes como Donga e Sinhô. Nesse bloco, ainda grandes composições de artistas da “Era do Rádio”, como Noel Rosa, Luiz Gonzaga, Ary Barroso e Dorival Caymmi.

+ Ingressos para o Rock in Rio estão esgotados

Para finalizar o roteiro com muito suingue, o bloco Bares, Festivais e Estádios compreende desde a década de 50 até os dias atuais. Mostra a influência do jazz no surgimento da bossa nova, os movimentos estudantis e a música de protesto - que marcaram o período dos grandes festivais -, além da Jovem Guarda, na década de 60. O tropicalismo - da década de 70 - e o rock brasileiro - da década de 80 - também entram nesta parte do show, além da MPB e do novo choro, que marcaram a década de 90 até os dias atuais. 

Camerata Diminuta em “Estação Brasil: Festa da Música”

Sesc Tijuca – Projeto “Sons da Casa Rosa”

Endereço: Rua Barão de Mesquita, 539. Tijuca.

Telefone: (21) 3238-2139.

Data: 9/5 (sábado)

Horário: 18hPreço: R$ 3 (comerciários). R$ 5 (estudantes e idosos) e R$ 10.

Capacidade: 250 pessoas

Classificação indicativa: 10 anos

Fonte: VEJA RIO