EDIÇÃO DA SEMANA

Exposições

Percorremos as melhores exposições da semana para indicar o que você não pode perder

Por: Rafael Teixeira

ESTREIAS

Gonçalo Ivo

A habitual variedade de cores e os padrões retangulares estão presentes nas obras que o artista apresenta nesta individual. São quatro telas em grande formato e cinco aquarelas. R$ 12?000,00 a R$ 100?000,00.

Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 19 de julho. A partir de quarta (4).

Marilá Dardot

Mineira radicada em São Paulo, a artista apresenta nove trabalhos em Pouco a Pouco, produzidos desde 2002. Tendo como eixo a cor, a geometria, o tempo e a literatura, a seleção de obras inclui instalação, vídeo, pintura e escultura.

Galeria Laura Alvim. Avenida Vieira Souto, 176, Ipanema, ☎ 2332-2017. Terça a domingo, 13h às 21h. Grátis. Até 17 de agosto. A partir de quinta (5).

Mauro Restiffe

Em São Paulo, Fora de Alcance, o fotógrafo exibe dezoito registros feitos com câmera Leica e filme preto e branco de baixa sensibilidade, resultado de caminhadas por diversos bairros paulistanos, como Brás, República, Pinheiros, Vila Congonhas e Itaquera.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 14 de setembro. A partir de domingo (8).

Mulheres em Campo Driblando Preconceitos

Organizada pelas ONGs streetfootballword e Rede de Desenvolvimento Humano (REDEH), a mostra tem a jogadora Marta como madrinha. São mais de 100 fotos, vídeos e uma linha do tempo mostrando os contextos sociais e políticos e as principais personagens que escreveram a trajetória de quase um século do futebol feminino no país. Os visitantes descobrirão, por exemplo, que o primeiro registro de uma partida de futebol feminino no Brasil foi há 93 anos, em São Paulo, e que o termo torcedor surgiu a partir das jovens que iam ao estádio e ficavam torcendo seus paninhos durante os jogos.

Museu da República. Rua do Catete, 153. ☎ 2127-0324. Segunda a domingo, 9h às 17h. Grátis. A partir de quinta (5).

Piti Tomé

Em sete obras inéditas, a artista aborda a infância e luta contra o esquecimento. Os trabalhos são criados a partir de fotografias antigas, além de páginas de livros médicos e dicionários estrangeiros.

R$ 4?000,00 a 6?000,00.

MUV Gallery. Rua Visconde de Pirajá, 580, sala 102, subsolo, Ipanema, ☎ 2287-1060. Terça a sexta, 11h às 18h. Sábado mediante agendamento. Até 8 de agosto. A partir de sexta (6).

A Potência do Objeto

Peças de artistas populares e artesãos de várias regiões do país integram a mostra. A seleção inclui as famosas bonecas de barro claro de Zezinha, do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais.

Centro de Referência do Artesanato Brasileiro. Praça Tiradentes, 67 (Solar Visconde do Rio Seco), Centro, ☎ 98475-0729. Terça a sábado, 10h às 18h. Grátis. Até 26 de julho. A partir de terça (3).

EM CARTAZ

bauhaus.foto.filme

Fundada em 1919 na Alemanha, a vanguardista escola de design, artes plásticas e arquitetura Bauhaus tem cinquenta fotos e vinte filmes de seu acervo exibidos. Boa parte da seleção fotográfica é exemplar do modo como membros da instituição, já no início do século XX, exploravam a manipulação da imagem.

Oi Futuro Ipanema. Rua Visconde de Pirajá, 54, Ipanema, ☎ 3131-9333, ? General Osório. → Terça a sexta e feriados, 15h às 21h; sábado e domingo, 14h às 21h. Grátis. Até 20 de julho.

Call Me Helium

Em 1974, Hélio Oiticica e os irmãos Andreas e Thomas Valentin tiveram uma ideia para uma obra: um enorme balão no qual se leria "call me helium", referência a uma frase do guitarrista Jimi Hendrix e, ao mesmo tempo, um trocadilho com o primeiro nome de Oiticica. Engavetado por quarenta anos, o balão finalmente está içado na Praça dos Correios. Ali ficará até o fim de uma exposição no Centro Cultural Correios, com fotos e documentos que retratam o cotidiano de Oiticica em Nova York, na época em que a obra foi concebida. Uma foto de Carlos Vergara e uma escultura de Antonio Manuel também estão na mostra.

Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 13 de julho.

Do Valongo à Favela: Imaginário e Periferia

Cerca de 200 peças, entre objetos, fotos, documentos e obras de arte contemporânea, contam a história da Zona Portuária, onde fica o MAR. Trabalhos de Djanira, Lasar Segall, Augusto Malta e Di Cavalcanti, entre outros, integram a exposição.

Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, s/nº, Zona Portuária, ☎ 3031-2741. → Terça a domingo, 10h às 18h. R$ 8,00. Grátis às terças. Meia-entrada para estudantes de escolas particulares e universitários. De quarta a domingo, grátis para alunos e professores da rede pública, crianças de até 5 anos e pessoas com mais de 60 anos. Até 15 de fevereiro de 2015.

✪✪✪ Fabian Marcaccio

Único trabalho na mostra de mesmo nome, Paintant Stories, do argentino radicado em Nova York, é monumental: trata-se de uma obra de técnica mista com 4 metros de altura e 100 de extensão.

Casa Daros. Rua General Severiano, 159, Botafogo,

☎ 2275-0246. → Quarta a sábado, 11h às 19h; domingo, 11h às 18h. R$ 12,00. Grátis para crianças de até 12 anos e às quartas. Meia-entrada para idosos e estudantes com mais de 12 anos. A bilheteria fecha meia hora antes do término do horário de visitação. Até 10 de agosto.

✪✪✪ Fidia Falaschetti. Leia em Veja Rio Recomenda.

Richard Serra

Renomado artista americano da cena contemporânea, Serra exibe 96 desenhos. Abstratas em sua maioria, com presença recorrente de imagens negras sobre fundo branco, as ilustrações revelam o domínio do artista sobre vários materiais.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 28 de setembro.

✪✪✪✪ Visões na Coleção Ludwig

Do enorme acervo particular do alemão Peter Ludwig, magnata da indústria do chocolate morto em 1996, foram pinçadas 64 obras. Nomes de peso, como Andy Warhol, Pablo Picasso, Roy Lichtenstein e Jeff Koons, estão representados.

Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Quarta a segunda, 9h às 21h. Grátis. Até 21 de julho.

Salvador Dalí

O gênio do surrealismo tem sua mostra mais expressiva apresentada no Brasil. São 150 peças ? 29 pinturas e oitenta desenhos e gravuras, além de documentos e fotografias. Destaque para as obras da fase surrealista, como o óleo O Sentimento de Velocidade (1931).

Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Quarta a segunda, 9h às 21h. Grátis. Até 22 de setembro.

Fonte: VEJA RIO