ROTEIRO DA SEMANA

Exposições

Percorremos as melhores exposições da semana para indicar o que você não pode perder

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ ACERVO SILVIA CINTRA + BOX 4. São quinze trabalhos de treze artistas. O time escalado inclui gente do calibre de Leda Catunda, Daniel Senise, Lucia Koch e Amílcar de Castro. As técnicas variam. Há pinturas, a exemplo da criação figurativa de Maria Klabin, uma praia apresentada em tons soturnos, e da abstração de Carlito Carvalhosa, de azul esfuziante sobre alumínio. O fotógrafo Miguel Rio Branco comparece com o belo tríptico Maria, usando a atriz Mariana Ximenes como modelo. Aos 81 anos recém-completados, Nelson Leirner encarrega-se do humor jovial, inocente só na aparência, com a foto de um mapa-múndi lotado de adesivos de Mickey, Minnie, Hello Kitty, Papai Noel e caveiras. R$ 15?000,00 a R$ 130?000,00. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até sábado (16). www.silviacintra.com.br. Reabre na quinta (14).

✪✪✪✪ ANNA MARIA NIEMEYER ? UM CAMINHO. Tributo à galerista morta em 2012, a mostra revela sua importância para as artes brasileiras através de um acervo rico. Foram reunidas 300 peças, entre documentos, fotos e 180 obras de 58 artistas. Estão lá nomes lançados por ela, a exemplo de Jorge Guinle (1947-1987), autor de sete telas, inclusive a monumental Aquário (1983), Victor Arruda, Jorge Duarte e Beatriz Milhazes, presente com seis de suas hoje cobiçadas criações. De seu pai, o arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012), há um singelo retrato da filha ainda bebê e móveis feitos pelos dois para construções de Brasília, como o Palácio da Alvorada. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até domingo (17). www.pacoimperial.com.br. Reabre na quarta (13).

✪✪✪ CINTHIA MARCELLE. Premiada no Brasil e no exterior, a mineira é a primeira atração do ano na Sala A Contemporânea, espaço no CCBB dedicado a artistas brasileiros emergentes. Em Zona Temporária, ela reúne dez vitrines com molduras de alumínio, vedadas por papéis de cores variadas, como branco, cinza, pardo, laranja e rosa. A estética de vitrines de estabelecimentos desativados em centros urbanos inspirou a artista, que aqui evoca um diálogo com a arte neoconcreta. Um vídeo inédito, intitulado Automóvel, inspirado no mito grego de Sísifo, completa o acervo. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até domingo (17). Reabre na quarta (13), às 13h.

✪✪✪ JOSÉ RUFINO. Logo ao entrar, o visitante depara com um par de enormes pés, as solas voltadas para a porta. Trata-se de uma das extremidades de uma monumental escultura criada pelo artista, na qual ele retrata o herói Ulisses, protagonista do clássico grego Odisseia, de Homero. Com 23 metros de comprimento, a obra é feita de materiais coletados pela cidade, como madeira, pedra, ferro, concreto e cerâmica. Outros dois trabalhos completam o acervo de Ulysses: a interativa Cadáver Esquisito e Ulysses Memorabilia, que traz desenhos sobre livros antigos de anatomia e mapas da cidade. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até domingo (17). Fecha na segunda (11) e reabre na quarta (13), às 12h.

✪✪✪ MARCELO MOSCHETA. Uma viagem de três semanas feita pelo artista plástico ao Ártico, em 2011, serviu como ponto de partida para a individual Norte. Foram selecionados dez trabalhos, oito deles inéditos. Alguns têm sensor de presença que faz com que luzes se acendam, a exemplo de NY Alesund (2012), construído com cinco impressões e colagem de materiais diversos em papel fotográfico, alumínio, laser e acrílico, e Ilha Elephant 24 de Abril de 1916 (2010), que reúne dois projetores de slides. Chama atenção ainda a série Notes from the Cold (2012), com desenhos de grafite sobre PVC, alumínio e acrílico que, no ambiente escuro, parecem brilhar. O barulho do mar é reproduzido na videoinstalação Maré (2009). Curadoria de Daniela Name. Paço Imperial ? Sala Terreiro do Paço. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até domingo (17). www.pacoimperial.com.br. Reabre na quarta (13).

✪✪✪ VIEIRA DA SILVA ? AGORA E DIÁLOGOS COM VIEIRA DA SILVA. Programa duplo dedicado a Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), uma das principais representantes da arte moderna de Portugal. A primeira mostra é uma individual da homenageada, com 51 trabalhos, entre pinturas e desenhos, reveladores do embate sem derrotados entre figuração e abstração que impregnou sua criação. Na segunda exposição são reunidas 28 peças de 21 artistas, nomes importantes da cena brasileira como Guignard, Volpi e Pancetti, de alguma maneira relacionados a Vieira da Silva ? ela viveu no Rio com o marido, o húngaro Arpad Szenes (1897-1985), de 1940 a 1947. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado e domingo, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Ingresso-família no domingo: R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até domingo (17). www.mamrio.com.br. Reabre na quarta (13).

✪✪✪✪ WILLIAM KENTRIDGE. Artista consagrado, o sul-africano já ganhou individuais no Louvre, em Paris, e no MoMA, em Nova York. Sua notoriedade se deve em grande parte a um conjunto de vídeos ? dez até o momento, produzidos desde 1989 ? batizado de Drawing for Projection, exibido integralmente pela primeira vez na mostra William Kentridge: Fortuna. Quadro por quadro, Kentridge vai filmando sutis alterações feitas em um desenho. Completam o acervo exposto 23 desenhos, outros dezessete vídeos, esculturas e gravuras. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até domingo (17). www.ims.com.br. Reabre na quinta (14).

EM CARTAZ

✪✪✪✪ ADRIANA VAREJÃO. Exibida em São Paulo entre setembro e dezembro do ano passado, História às Margens atraiu mais de 60?000 pessoas. Primeira panorâmica da renomada artista, a mostra tem tudo para bisar o êxito no MAM carioca. Quarenta obras compõem o acervo, que privilegia sua produção de 1991 para cá. Espalham-se pelos trabalhos conhecidas ? e visualmente estonteantes ? obsessões de Adriana: a arte barroca, o mar, a azulejaria do período colonial brasileiro e vísceras. Convivem em notável harmonia telas serenas e convidativas, como O Sedutor (2004), que mostra um cômodo de azulejos azuis, e outras de agressiva beleza. Um exemplo: em Extirpação do Mal por Incisura (1994), parte do quadro na parede assemelha-se a um tecido vivo que, arrancado, repousa sobre uma maca em frente. Vale a pena deter-se por mais tempo diante de Parede com Incisões à la Fontana (2000). Resumo das intenções de sua autora, a criação pertence à mesma série da peça que, em 2011, atingiu cerca de 3 milhões de reais em um leilão da Christie?s londrina. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis na quarta, a partir das 15h, e, todos os dias, para amigos do MAM e menores de 12 anos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 10 de março. www.mamrio.com.br. Reabre na quarta (13).

CAROLINA MARTINEZ. Com Às Avessas, a artista ocupa o anexo da galeria. As obras apresentadas são janelas que ela trabalhou de forma a criar um ambiente em que paisagem e casa se misturam. R$ 1?500,00 a R$ 4?000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até dia 28. Reabre na quinta (14).

✪✪✪ HILDEBRANDO DE CASTRO. Nascido em Olinda, atualmente vivendo em São Paulo, o artista pernambucano apresenta 54 obras produzidas entre 1990 e 2012 na mostra Ilusões do Real. Dispostas na mesma parede, telas em acrílica e obras em MDF são semelhantes a ponto de quase confundir o espectador, em um curioso efeito ótico. Chama atenção também a seleção de pastéis em que são retratadas figuras estranhas, a exemplo de uma espécie de sereia obesa, com pés de pato. A curadoria é de Denise Mattar. Caixa Cultural ? Galeria 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até dia 24. www.caixacultural.com.br. Reabre na quinta (14) e fecha no domingo (17) .

✪✪ IRMÃOS CAMPANA. Um ano após exibir uma coleção de onze cadeiras dos irmãos Humberto e Fernando Campana em sua galeria, a marchande Luciana Caravello volta a homenagear a dupla, famosa pela criação de objetos utilitários que fundem design e arte. Em Trançando o Real, o curador Waldick Jatobá fez uma enxuta seleção de quinze peças nunca antes mostradas no Rio. À exceção de dois vasos de vidro, todas têm em comum o uso do vime, material que consagrou os irmãos na Design Miami de 2008. A qualidade do trabalho dos Campana é patente. Mas, comparada à mostra realizada na mesma galeria em 2012, esta aqui é um tanto redundante, com cadeiras e luminárias muito parecidas entre si. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até dia 22. www.lucianacaravello.com.br. Reabre na quinta (14).

✪✪ LAURA ERBER. Musa sem Cabeça reúne uma série de telegramas que a própria artista enviou ao ?Senhor MAM?, como ela se refere ao Museu de Arte Moderna. Os textos contidos nas mensagens variam de poemas, citações, ficções, registros de cenas vistas no museu a perguntas. A ideia é curiosa, mas a montagem da exposição, com os telegramas pregados em cavaletes, soa monótona ao visitante menos afeito às idiossincrasias da arte contemporânea. Curadoria de Luiz Camillo Osorio. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 14 de abril. www.mamrio.com.br. Reabre na quarta (13).

✪✪✪✪ MÁRCIA X. Leia em Veja Rio Recomenda. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 14 de abril. www.mamrio.com.br. Reabre na quarta (13).

MOVIE-SE: NO TEMPO DA ANIMAÇÃO. Dos marcos iniciais a recentes sucessos de bilheteria, um panorama da técnica que encanta crianças e adultos é apresentado nas 102 peças da exposição. Organizada sob a curadoria de Greg Hilty, a mostra estreou no Barbican Centre, em Londres, em 2011. Na versão itinerante, já passou por Canadá e Taiwan. O público encontra fragmentos de filmes e produções completas, exibidos em telões e monitores, além de duas esculturas de resina de Woody e Jessie, estrelas da série Toy Story. Há ainda trabalhos históricos, como The Serpentine Dance, dos irmãos Auguste (1862-1954) e Louis (1864-1948) Lumière, os pais do cinema, e Silly Symphonies, coleção de 75 curtas produzidos por Walt Disney (1901-1966) entre 1929 e 1939. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 7 de abril. Reabre na quarta (13), às 13h.

PAULO CLIMACHAUSKA. No Oi Futuro, o criador paulistano apresenta ✪✪✪ Re-Subtrações, com obras que evocam o tema da imprevisibilidade, do jogo e do acaso. A série Tac-Tic é composta de catorze painéis de fórmica dispostos nas quatro paredes de uma sala, cada um com a silhueta do ponteiro de um relógio de sol em uma posição diferente. A mesma ligação com o tempo é sugerida na escultura O Dia em que a Terra Parou (2012), de granito. Os trabalhos mais atraentes são uma série chamada Blefe, de oito telas de serigrafia inspiradas no verso das cartas de baralho, e uma instalação que reúne vídeos e um jogo de pega-varetas gigante. Em ✪✪✪ Fluxo de Caixa, na Galeria Artur Fidalgo, ele exibe Rubik Cube, um políptico formado por seis telas, e outras quatro telas da série Catedral. A técnica de todas é impressionantemente minuciosa: as rigorosas linhas dos desenhos são feitas de contas de subtrações. Os números são tão pequenos que é preciso se aproximar da obra para perceber esse detalhe. Apenas as obras dessa última exposição estão à venda, a preços entre R$ 43?000,00 e R$ 92?000,00. Galeria Artur Fidalgo. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, Copacabana, ☎ 2549-6278, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até sábado (16). Reabre na quinta (14). www.arturfidalgo.com.br. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 17 de março. www.oifuturo.org.br. Reabre na quinta (14).

PAULO MEIRA. Em sua primeira mostra no Rio, o criador pernambucano apresenta um vídeo inspirado no tango La Cumparsita, sucesso na voz de Carlos Gardel. Nas imagens, um homem dança com uma peça de 1,78 metro de altura em forma de compasso. Também é exibida uma série de óleos com figuras que combinam seres humanos e animais. R$ 7?000,00 a R$ 30?000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até dia 28. Reabre na quinta (14).

RODRIGO OLIVEIRA. Depois de apresentar Coisas de Valor e o Valor das Coisas, em 2011, na Cosmocopa, o português nascido em Sintra e radicado em Lisboa volta à galeria com a individual Mais que Papagaios à Sombra das Bananeiras. A mostra reúne 22 obras produzidas a partir de 2010, entre esculturas e instalações que evocam uma ideia de brasilidade através da alusão a referências culturais, sociais e políticas. Uma Pedra no Sapato, por exemplo, é composta de onze pares de sandálias Havaianas que combinam a banalidade da tira de plástico original com a nobreza dos mármores de diferentes origens. R$ 4?000,00 a R$ 10?000,00. Cosmocopa Arte Contemporânea. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), sobreloja 32, Copacabana, ☎ 2236-4670. Segunda a sexta, 10h às 20h30; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 6 de março. Reabre na quinta (14).

✪✪✪ A SAGRADA FAMÍLIA. Com curadoria de Romaric Büel, ex-adido da Embaixada da França no Brasil, a alentada mostra reúne 93 esculturas inspiradas pelo divino. São representações da Sagrada Família, além de anjos, Adão e Eva e cenas bíblicas como a Via Sacra. O grande mérito da exposição é a proposta de diálogo entre duas vertentes da arte brasileira: há 52 peças barrocas, quase todas de madeira, e 41 criações populares, a maioria de barro. Boa parte dos personagens retratados pode ser admirada em ambos os estilos, o que dá ao visitante a oportunidade de perceber insuspeitadas afinidades entre a aparente rusticidade de artesãos e o requinte barroco. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 3 de março. Reabre na quarta (13).

YUTAKA TOYOTA. O pintor, escultor, desenhista, gravador e cenógrafo, nascido no Japão em 1931 e naturalizado brasileiro em 1968, exibe dezoito esculturas de variadas técnicas em Yutaka Toyota ? Sim, Pode Tocar!. Como o nome sugere, trata-se de obras que incentivam a interação física com o público. Curiosidade: ao se aproximar de um trabalho, o espectador ouve a descrição da peça e, automaticamente, esta começa a tocar uma música. Um catálogo impresso em braile foi produzido. Curadoria de Claudia Lopes. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 17 de março. www.correios.com.br. Reabre na quarta (13).

FOTOGRAFIA

✪✪✪ FLÁVIO DAMM. Autor de imagens históricas, por mais de dez anos atuante na revista O Cruzeiro, Damm exibe um recorte original de seu acervo com mais de 60?000 negativos. Ele reuniu fotos feitas nas horas vagas em Flávio Damm ? Passageiro do Preto & Branco ? Fotografias ? 1946-2012. Montada sob curadoria do designer Felipe Taborda, a individual traz 85 obras em preto e branco, criadas sob luz ambiente, em andanças pelo Brasil e 74 viagens ao exterior. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 3980-3815, ? Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até dia 24. www.caixacultural.com.br. Reabre na quinta (14) e fecha no domingo (17).

Fonte: VEJA RIO