Roteiro da Semana

Beira-Mar

Por: Sabrina Wurm - Atualizado em

Nova promoter na praça

beira03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Conhecida pela alcunha de "it girl", como são chamadas as moças admiradas por criar tendências e lançar moda, a carioca Alexia Wenk achou que era hora de profissionalizar um trabalho que fazia informalmente: convidar amigas para conferir as novas coleções das principais lojas da cidade. Agora, quem quiser usar os serviços de promoter da jovem, e garantir a presença de sua sofisticada rede de relacionamentos, precisa pagar 2?500 reais. Parece loucura, mas vem funcionando. Recentemente, ela foi chamada pela marca Schutz, na Rua Garcia D?Ávila, em Ipanema, para um desses lançamentos. "Tenho um mailing de aproximadamente 150 pessoas", diz, referindo-se à exclusiva lista de contatos que inclui nomes de famílias tradicionais, como os Monteiro de Carvalho e Palhares. "Não esperem que eu leve muita gente, me concentro em consumidores em potencial, que se identifiquem com a proposta." Pelo visto, a diversão virou compromisso sério.

Retorno às passarelas

beira04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Depois de passar por uma c

rise financeira que redundou no fim da parceria com a InBrands, holding da qual fazia parte ao lado de grifes como Alexandre Herchcovitch e Ellus, a estilista Isabela Capeto volta ao grand monde. Há um ano afastada do Fashion Rio, ela será a única marca da América Latina a desfilar sua coleção de inverno na Milano Unica, importante feira internacional que acontece em Milão no próximo dia 13. Participam do evento representantes da Rússia, Índia e China, formando o grupo das potências emergentes, os chamados Bric. O convite partiu da toda-poderosa editora da Vogue italiana, Franca Sozzani, organizadora do enco

ntro. Com o fechamento de suas duas lojas em São Paulo no ano passado, Isabela mantém apenas a matriz carioca na Rua Dias Ferreira, no Leblon. Por enquanto, não há planos de abrir novas filiais. "Vejo esse momento como um recomeço", diz.

Jantar estrelado

beira02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Um dos chefs mais badalados do mundo, dono de treze restaurantes em cidades como Nova York, Miami, Pequim e Cingapura, o francês Daniel Boulud será a atração principal de um jantar para 250 pessoas dia 7 de outubro, no Gávea Golf

Club. Detentor de três estrelas no guia Michelin, cotação máxima da bíblia da gastronomia, o mestre-cuca e restaurateur vem pela primeira vez à cidade para cozinhar em parceria com outros quatro nomes consagrados dos fogões internacionais: a brasileira Roberta Sudbrack, o também francês radicado no Rio Claude Troisgros e seus conterrâneos Benoît Sinthon e Yves Michoux, do badalado Il Gallo d´Oro, na Ilha da Madeira. Sócio da importadora de vinhos Zahil , o português Antonio Campos injetou 300?000 reais na realização do evento, que começa no dia anterior com palestras e degustações. Quem quiser experimentar as delícias preparadas por Boulud e companhia terá de desembolsar 475 reais.

Mulher sem aditivos

beira01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Eleita no último dia 20 a nova rainha de bateria do Império Serrano, a paranaense Flávia Piana chamou a atenção justamente por não se enquadrar no padrão estético que dominou os últimos carnavais da Sapucaí: mulheres tipo fruta, com coxa de zagueiro e retaguarda de saúva. Moradora da Barra e estudante de Direito, a ex Miss Mato Grosso (onde ela morou com a família) diz que não tem silicone e nunca se submeteu a cirurgia plástica nem a bronzeamento artificial. "Sou toda natural, meu estilo é feminino", gaba-se. "Não faz a minha cabeça ter um corpo todo musculoso." No meio do samba, muitos defendem a modelo co

mo possível sucessora das rainha

s Luiza Brunet e Luma de Oliveira. Aos 21 anos, 1,78 metro de altura e 63 quilos, Piana foi chamada para ocupar o posto depois de ir com amigos a uma feijoada da escola no início do mês. Sim,

ela come torresmos.

As dívidas de Prince

beira05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O papelão de Prince, ao cancelar na última hora sua apresentação no festival Back2Black, pode doer no bolso do artista. Idealizadoras do festival, as produtoras Julia Otero e Connie Lopes vão recorrer à justiça para receber a multa prevista em caso de rescisão contratual. De acordo com a cláusula acordada, a quantia estava estipulada em meio milhão de reais. Como o evento acontece aqui, a dupla vai pedir que o processo tramite no Brasil. "Estou chocada até agora com esse imprevisto. Vou acionar meu advogado para que ele possa tomar as providências legais", diz Julia. "Assim como os fãs, também fui pega totalmente de surpresa." O problema maior será receber do cantor, conhecido por dar calotes. Ele deve o equivalente a 1,2 milhão de reais a antigos advogados e até hoje não pagou os 5,5 milhões determinados pelas autoridades judiciais irlandesas por faltar a um show, em Dublin, em junho de 2008, com mais de 50 000 ingressos vendidos. No caso do evento carioca, 7 000 bilhetes tinham sido comprados. Uma falta de respeito.

Fonte: VEJA RIO