PELA PORTA DA FRENTE

Júlia Rabello celebra ano cheio de acertos

Sucesso em vídeos de humor na internet, atriz se firma na televisão e no cinema

Por: Rafael Teixeira

Júlia Rabello
Júlia Rabello: a atriz acaba de assinar um contrato para 2015 com o GNT (Foto: Jorge Bispo/Divulgação)

Em casa, marido e mulher jantam em silêncio, até que ele pergunta o que tem de sobremesa. Ela responde: “Abacaxi”. Irritado, o esposo retruca que trabalha o dia inteiro e tudo o que quer é um doce mais interessante no fim do dia. “Não precisa ser um pudim se você não gostar. Pode ser outra coisa. Sei lá, quer um sorvete? O que você quer?” Ao que ela replica, com uma frase que já virou clássica no humor brasileiro da internet: “O que eu quero, Mário Alberto?”. Ato contínuo, começa a desfiar um rosário de fantasias sexuais impublicáveis. Estrela do vídeo, o segundo mais visto da história do Porta dos Fundos, a carioca Júlia Rabello, 33 anos, já era um rosto bem conhecido de quem acompanha o canal. Mas o ano de 2014 ampliou seu público de forma inaudita, graças a trabalhos de sucesso na TV e no cinema. “Sempre trabalhei muito. Mas, pela diversidade, este está sendo o meu ano mais fértil”, diz Júlia.

Na televisão, a atriz fez sucesso no papel de Jaqueline, ex-namorada do personagem de Paulo Gustavo no humorístico Vai que Cola, do Multishow, e rouba a cena como a melhor amiga da protagonista Mônica Martelli na série Os Homens São de Marte e É pra Lá que Eu Vou, do GNT. No cinema, depois de participações em Vestido para Casar, Copa de Elite e O Candidato Honesto, ela encarna a sua primeira protagonista, na comédia A Noite da Virada, com estreia no próximo dia 18.

infográfico
Os pontos altos da atriz em 2014 (Foto: Divulgação)

Embora tenha uma trajetória iniciada no teatro, Júlia reconhece que o ano especialmente bom é, em grande parte, resultado de suas atuações na internet — mídia da qual ela não pretende se separar. “Outro dia, fui ao cabeleireiro e a moça que me recebeu comentou que eu era ‘a moça do GNT’. Chegou a manicure e disse que eu era ‘do Vai que Cola’. Depois, uma cliente me reconheceu como ‘a atriz do Porta dos Fundos’. Claro que o público se ampliou, mas a internet ainda tem seu peso”, avalia. E o ano que vem promete mais trabalho: a atriz acabou de assinar contrato com o GNT para desenvolver um projeto inédito para o canal. Além disso, segue no Porta dos Fundos e tem um projeto com o marido, o comediante Marcos Veras, de um quadro no Fantástico. Ela quer é trabalhar, Mário Alberto.

Fonte: VEJA RIO