CRÔNICA VISUAL

Marcos Chaves exibe fotos da cidade no MAR

Na exposição Paisagens Não Vistas, artista carioca desvirtua o senso comum dos cartões-postais da cidade

Por: Rafael Teixeira

AVALIAÇÃO ✪✪✪     

Marcos Chaves
Arquipélago (2010): a montagem fotográfica provoca um efeito tridimensional na paisagem (Foto: Divulgação)

Prestes a completar 450 anos, no domingo (1º), o Rio é alvo de uma espécie de crônica visual na exposição Paisagens Não Vistas, do artista carioca Marcos Chaves. Boa parte das mais de trinta obras exibidas, porém, desvirtua o senso comum dos cartões-postais da cidade. É o caso de uma de suas séries mais conhecidas, Sugar Loafer, com treze fotografias na seleção. O ponto em comum é a presença do Pão de Açúcar, mas desprovido do enquadramento turístico — em primeiro plano invariavelmente aparece um mendigo ou,no mínimo, algum indício de sua passagem pela cena. Com seis trabalhos expostos, a série Buracos é composta de flagrantes de crateras no asfalto, preenchidas de maneira insólita com todo tipo de objeto, para alertar o motorista que transita pela via. Tão belas quanto imponentes em suas dimensões são as quatro montagens fotográficas em que Chaves estilhaça uma paisagem em cubos que se elevam das paredes, causando um efeito tridimensional, como se vê em Arquipélago (2010).

Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, s/nº, Zona Portuária,☎ 3031-2741. → Terça, 10h às 19h; quarta a domingo, 10h às 17h. R$ 8,00. Grátis às terças. Meia-entrada para estudantes de escolas particulares e universitários. De quarta a domingo, grátis para alunos e professores da rede pública, crianças deaté 5 anos e pessoas com mais de 60 anos. Até 31 de maio.    

+ Confira outras exposições em cartaz na cidade 

Fonte: VEJA RIO