RESISTÊNCIA

Coletiva no MAM enfoca combate à opressão

Imagens da Escuridão e da Resistência reúne 52 obras criadas por 23 artistas e coletivos brasileiros

Por: Rafael Teixeira

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Imagens da Escuridão e da Resistência
Lute (1967), de Rubens Gerchman: palavra de ordem se impõe em vermelho (Foto: Paulo Jabur/Divulgação)

Os desdobramentos da arte como forma de engajamento político dominam a variada coletiva Imagens da Escuridão e da Resistência. Trata-se de uma reunião de 52 obras criadas por 23 artistas e coletivos brasileiros. Entre os destaques, há sete registros emblemáticos do fotógrafo Evandro Teixeira, flagrantes de movimentos de contestação ao governo clicados em 1968. A famosa palavra de ordem de Rubens Gerchman em Lute (1967) se impõe como um mantra com suas letras garrafais vermelhas. Vale adentrar a instalação Cosmococa CC9 Cocaoculta Renô Gone, tributo de Helio Oiticica a Renô, amigo do artista de suas andanças pela Mangueira e pelo Morro de São Carlos. Fruto de uma proposição de Oiticica (projetos elaborados por ele, com autoria dividida e execução feita por terceiros) enviada a Carlos Vergaraem 1974, a obra nunca havia sido realizada.

Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85,Parque do Flamengo, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado e domingo, 12h às 19h. R$ 14,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e, na quarta, a partir das 15h, para todos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-seR$ 14,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até o dia 22.     

+ Confira outras exposições em cartaz na cidade

Fonte: VEJA RIO