CINEMA

Maridos pulando a cerca

Em nove histórias curtas, a comédia Os Infiéis diverte com um panorama sobre as traições conjugais

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

AVALIAÇÃO ✪✪✪

roteiro-cinema-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A frase do dramaturgo Nelson Rodrigues que diz que toda unanimidade é burra aplica-se bem à comédia francesa Os Infiéis. Enquanto uns devem rolar de rir com o humor afiado e propositalmente misógino, outros podem achar a fita grosseira. Sucesso de bilheteria em seu país de origem (cerca de 2 milhões de ingressos foram vendidos), trata-se de um projeto pessoal de Jean Dujardin, vencedor do Oscar 2012 de melhor ator por O Artista. Além dele, seis diretores e quatro roteiristas se dividiram na criação de nove histórias curtas.

Quase sempre, longas-metragens em esquetes tendem a ser irregulares. Ocorre o mesmo aqui, porém o saldo revela-se satisfatório ? os capítulos nos quais a graça se impõe são superiores às tramas dramáticas. De tom explicitamente machista, o prólogo dá uma ideia do conjunto. Mesmo casados, os amigos Fred (Dujardin) e Greg (Gilles Lellouche), ambos na idade do lobo, aproveitam a balada e transam com mulheres de apenas uma noite. Os mesmos personagens voltam no derradeiro episódio: eles largam a esposa por uns dias e vão atrás das americanas em Las Vegas. Polêmica, a conclusão pode deixar estarrecido o espectador mais conservador. Dois outros curtas também se destacam. Agora comandado por Michel Hazanavicius (o premiado diretor de O Artista), Dujardin interpreta um patético conquistador disposto a levar para a cama qualquer colega de trabalho após uma palestra num hotel. E o realizador Alexandre Courtès reúne o maior elenco masculino de toda a produção para, diante de uma psicóloga (Sandrine Kiberlain), tratar o vício em sexo em uma divertida sessão de terapia. A infidelidade marca presença ainda na vida de um dentista quarentão (Lellouche), apaixonado por uma jovem estudante, e no cotidiano de um casal aparentemente feliz (Dujardin e Alexandra Lamy) ? nesses contos, a sátira dá lugar ao melodrama.

Surpreendente, Dujardin arrasa na versatilidade depois do papel sem falas na fita que o consagrou. Em Os Infiéis, ele e Lellouche se alternam para viver os protagonistas e se saem a contento em todos os momentos. O trunfo do filme, contudo, está no livre-arbítrio e na ousadia de Dujardin e camaradas exporem às claras seus pensamentos sobre a traição conjugal.

Os Infiéis, de Jean Dujardin, Michel Hazanavicius, Alexandre Courtès e mais quatro diretores (Les Infidèles, França, 2012, 109min). 16 anos. Estação Sesc Barra Point 1, Estação Sesc Rio 1, Estação Vivo Gávea 4, Kinoplex Fashion Mall Sala 3, UCI New York City Center 9.

Fonte: VEJA RIO