CINEMA

Jogos Vorazes: A Esperança — Parte1, o início do fim

Filme abusa de cenas alongadas para deixar a conclusão da saga para 2015

Por: Miguel Barbieri Jr.

Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1
Jennifer Lawrence interpreta a heroína Katniss: símbolo da resistência contra a Capital (Foto: Murray Close)

AVALIAÇÃO ✪✪✪     

A aventura Jogos Vorazes: A Esperança — Parte 1 é um longa-metragem para iniciados na saga, seja fã ou não. Sem um resumo dos capítulos anteriores, o espectador cai na trama e tem de se virar para lembrar o que aconteceu um ano atrás, quando foi lançado Em Chamas. Nesta terceira fita, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) torna-se heroína após escapar da competição que dá nome à série. Os distritos, controlados pela presidente Alma (Julianne Moore), têm em Katniss um símbolo da resistência contra a Capital. Cooptada para ser a garota-propaganda dos rebeldes, a jovem aceita sob a condição de que seu amigo Peeta (Josh Hutcherson) seja libertado do jugo do presidente Snow (Donald Sutherland). Basicamente, a história é essa. Ao contrário da aberração colorida dos anteriores, A Esperança, como se passa em um ambiente subterrâneo, privilegia as cores cinzentas e sombrias. O ritmo segue firme e forte, embora fique  evidente: algumas sequências foram prolongadas para chegar às duas horas de duração. Fica, então, a pergunta: seria mesmo necessário dividir o terceiro livro da trilogia em duas partes? Direção: Francis Lawrence (The Hunger Games: Mockingjay — Part 1, EUA, 2014, 123min). 14 anos. Estreou em 19/11/2014.

Fonte: VEJA RIO