CINEMA

Versão envolvente do best-seller Garota Exemplar

Suspense dirigido por David Fincher traz Ben Affleck e Rosamund Pike no centro de um crime

Por: Tiago Faria

Ben Affleck:  no papel do jornalista acusado pelo assassinato da própria mulher
(Foto: Divulgação)

 Na metade do best-seller de mistério Garota Exemplar, escrito pela americana Gillian Flynn em 2012, o leitor aprende a lição: não se deve confiar numa única palavra narrada pelos personagens. Nos primeiros parágrafos do romance, o jornalista desempregado Nick Dunne divaga sobre a impossibilidade de entender o que passa pela cabeça da mulher com quem vive há cinco anos, a adorável Amy. Essa sensação, essencial à trama original, foi mantida na adaptação dirigida por David Fincher. Tal como em Millennium — Os Homens que Não Amavam as Mulheres (2011), o cineasta segue a estrutura do livro (a escritora assina o roteiro), mas revela seu estilo envolvente, e por vezes cruel, ao acentuar a atmosfera de paranoia e desconforto submersa num ambiente familiar. O “lar, doce lar” de Nick (Ben Affleck, convincente no papel) e Amy (Rosamund Pike) começa a ruir quando, na manhã do aniversário de casamento deles, ela desaparece. Todas as pistas indicam a culpa do marido. A trilha sonora de Trent Reznor e de Atticus Ross, entre a delicadeza e o ruído, capta o espírito ambíguo do thriller. Escorada em reviravoltas nem sempre verossímeis, a fita guarda para os últimos minutos uma afiada observação sobre o lado doentio do casamento. Direção: David Fincher (Gone Girl, EUA, 2014, 149min). 16 anos. Estreou em 2/10/2014.

Fonte: VEJA RIO