EXPOSIÇÕES

Traços de Niemeyer

Alentada mostra sobre o arquiteto exibe no Paço Imperial projetos famosos e outros que não saíram do papel

Por: Rafael Teixeira

Fundação Oscar Niemeyer/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Primeira mostra dedicada a Oscar Niemeyer desde sua morte, em dezembro de 2012, aos 104 anos, Clássicos e Inéditos faz inteira justiça à produtividade do longevo arquiteto. Cerca de 300 itens, entre plantas, croquis, maquetes, fotografias e vídeos, vão se espalhar por mais de 1?000 metros quadrados do Paço Imperial a partir de sexta (15). Apresentada recentemente em São Paulo, a exposição, com curadoria de Lauro Cavalcanti, terá uma diferença importante por aqui: entre as oito salas ocupadas, uma será voltada apenas para trabalhos de Niemeyer destinados ao Rio, a exemplo do jamais construído Estádio Olímpico Nacional (que viria a ser o Maracanã), de 1941. Como este, chamam especial atenção outros projetos, cerca de cinquenta, que nunca saíram do papel, como casas desenhadas para Oswald de Andrade e Sérgio Buarque de Holanda, em São Paulo, e o plano da cidade de Negev, no deserto de Israel, criado por Niemeyer em 1964. Mas, como sugere o nome da mostra, a seleção também reúne obrigatórias referências às suas obras mais notáveis. Pertencem a essa lista o Edifício Gustavo Capanema e o Sambódromo, no Rio, o conjunto arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, o Edifício Copan, em São Paulo, o Palácio do Planalto e o Congresso Nacional, em Brasília. Suas criações ainda poderão ser admiradas em vídeo no documentário Oscar Niemeyer - A Vida É um Sopro, que conta com depoimentos do escritor José Saramago e do poeta Ferreira Gullar, entre outros nomes.

Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎ 2215-2093. → Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 2 de novembro. A partir de sexta (15).

Fonte: VEJA RIO