MEMÓRIA DA CIDADE

O povo unido...

Mostra de cinema politizado quer juntar, nas férias, a alunada de Uerj, Federal e Católica

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

EVANDRO TEIXEIRA/FOLHAPRESS
(Foto: Redação Veja rio)

Começou em maio, em diversas faculdades do país, e agora chega à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) a mostra Cinema pela Verdade. Com braços também na UFRJ e na PUC, reúne filmes que abordam os regimes de exceção na América Latina, alguns deles relembrando manifestações dos anos 60 e 70 ? o evento, gratuito, praticamente coincidiu com o grito das ruas de junho e talvez por isso a plateia venha ficando cada vez mais cheia. Quase sempre são produções que não cumpriram extensa carreira ou nem passaram no circuito comercial. No dia 16 (terça da semana que vem), por exemplo, será exibido na Uerj Eu Me Lembro, de Luiz Fernando Lobo, só visto no Festival do Rio do ano passado, que revive passeatas no Centro, especialmente as de 1968, e a luta pela anistia, na década seguinte. Em cada cidade a que chega, a mostra é organizada por estudantes locais ? e aqui se destacou Clarice Green, de 24 anos, aluna de ciências sociais na UFRJ. Chamada de "agente mobilizadora" pelos colegas, ela concorda com a tese de que só conhecendo o passado é que se pode mudar o futuro.

memorias-da-cidade-02-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fonte: VEJA RIO