EDIÇÃO DA SEMANA

Histórias Cariocas

Fatos e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por: Lula Branco Martins - Atualizado em

Caro hóspede

historias-cariocas-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Quarto de hotel não é tomate, mas também tem parcela de culpa por décimos da rediviva inflação. Pesquisa nacional da rede Hotéis.com revela como os preços do pernoite dispararam entre 2011 e 2012. Foi no Recife que a média das diárias mais cresceu: 35%. Quatro cidades fluminenses estão no estudo. O Rio (na foto, a piscina do Windsor) é o campeão do aumento no estado. Paraty se destaca como o destino onde as pousadas baratearam mais, Búzios mantém a tendência de preços altos, e a maior surpresa foi constatar a queda, mesmo que ínfima, das diárias de Angra. Mas não há o que comemorar -- ela ainda é, em termos absolutos, a cidade com os hotéis mais caros do país, uma média de 492 reais. De meio-dia a meio-dia.

historias-cariocas-03.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Mais LARANJINHAS

historias-cariocas-01.jpg
(Foto: Redação Veja rio)
historias-cariocas-07.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O número de estações de aluguel de bicicletas, que desde 2011 puseram mais laranja nas cores da cidade, pode passar de sessenta para 260, com presença maior na Zona Sul, no Porto e na Barra. Esta será uma exigência do contrato que a prefeitura renovará em setembro, com nova operadora, ou mantendo a atual, a Serttel. O sistema de liberação da bike deve ser mudado, abrindo o uso do celular, inspirado no similar francês Vélib.

Mirante das pernas tortas

Num quarteirão meio abandonado, perto do Mourisco Mar, a sede do Botafogo, surgirá um espaço em homenagem ao maior craque alvinegro da história, recentemente ressuscitado por um drible de Seedorf. Vai se chamar Mirante Mané Garrincha, operado pela Pepira, empresa que administra o adormecido Estádio do Engenhão. A ideia é dar uma agitada naquele pedaço do bairro. E, para quem gosta de céu, um mimo: lunetas. Não há previsão para o início das obras, mas confira, abaixo, como o local deve ficar.

historias-cariocas-05.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O enigma do calouro

historias-cariocas-04.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

O sobrenome Mendes não aponta lá muitas direções. O Aldir, sim, ajuda bem mais a decifrar essa charada. E, se afirmarmos que o "B ponto" é a abreviatura de Blanc, aí formou: mesmo que esteja irreconhecível sem barba, trata-se do autor de O Bêbado e a Equilibrista e O Mestre-Sala dos Mares (as duas, em parceria com João Bosco). A carteira é da Escola de Medicina e Cirurgia (atual UNI-Rio), na Tijuca. Ele se formou em 1971 e chegou a exercer a psiquiatria. Essas e outras histórias estão em Aldir Blanc: Resposta ao Tempo, livro de Luiz Fernando Vianna recém-lançado pela Casa da Palavra.

Cada bairro uma piada

historias-cariocas-06.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Fez vista o lounge da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), instalado na Marina da Glória durante o Fashion Rio. Sua decoração foi toda inspirada na moda, na arquitetura e nos costumes de bairros da Zona Norte ou da periferia da cidade. Ficaram expostas e fizeram sucesso as camisas da linha Suburban, da Complexo B, com estampas boladas pelo estilista Beto Neves. Um humor tipicamente carioca dá o tom da coleção. Méier virou Meyer em sua invasão à frase I Love NY. Jacarezinho fez graça com a grife francesa que tem o animal como símbolo. E a figura de um homem caminhando serviu ao trocadilho com Andaraí.

Fonte: VEJA RIO