DIVERSÃO

Eles acreditam em milagre

Torcida evangélica do Botafogo, a Fogospel reza por uma reviravolta na finalíssima contra o Fluminense no próximo domingo (13)

Por: Ernesto Neves - Atualizado em

fogospel.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Eles não xingam o juiz, não bebem cerveja nem arranjam confusão. Criada há dois anos pelo pastor Hércules Martins, a torcida organizada Fogospel é formada por evangélicos e faz sucesso nas redes sociais. Só no Facebook são dois perfis, um deles esgotado com 4.900 membros. No próximo domingo (13), o grupo vai precisar rezar mais do que nunca para o Botafogo. Depois de perder para o Fluminense por 4 a 1, o alvinegro só será campeão do Campeonato Carioca se conseguir vantagem de três gols e for melhor na disputa de pênaltis, ou se bater o adversário por quatro gols de diferença. Líder da torcida, Hércules, no entanto, não desanima. "Mais do que ninguém, evangélicos acreditam em milagres", conta. Confira abaixo uma entrevista com o líder da torcida gospel.

1- Como nasceu a torcida?

Frequento estádios desde criança, mas sempre me mantive afastado de torcidas organizadas pelo medo da violência. Há muito tempo tinha a ideia de juntar minhas duas paixões, o Botafogo e a igreja evangélica. Criei uma comunidade no Orkut e o sucesso nos motivou a levar a ideia do mundo virtual para os estádios. A primeira vez que fomos ao estádio com camisas e uma faixa, num jogo contra o Avaí, em 2009, foi um alvoroço.

2- Vocês têm presença grande nas redes sociais, um perfil esgotado com 4.900 pessoas no Facebook...

Usamos a internet para interagir com todas as pessoas, não só evangélicos. Discutimos sobre futebol, fazemos vídeos com jogadores. E falamos sobre religião também, claro.

3- Já foram alvo de preconceito?

Nas redes sociais, sim. Já apareceu gente falando que estádio não é lugar para pregação. Mas, com certeza, são pessoas que não nos conhecem, porque não vamos lá com essa intenção. Não somos fanáticos religiosos. Por que evangélico não pode torcer também? Estádio é um lugar de diversão, pra toda a família.

4- E como tratam os outros torcedores?

Antes dos jogos, nos dividimos e cada um faz uma tarefa. Alguém fica encarregado de distribuir folhetos com mensagens contra a violência nos estádios. Não é somente uma mensagem evangélica, traz um escudo do Botafogo, e o hino do time. Recebemos pessoas de qualquer religião, temos espíritas e católicos na Fogospel.

5- Quantas pessoas participam da torcida?

Levamos entre 40 e 70 pessoas num jogo normal. Vão muitos idosos, e crianças, que antes tinham medo de ir ao estádio. Hoje, com dois anos e meio de criação, a torcida tem camisetas, uma faixa de 20 metros de comprimento, bandeiras. Nós chamamos atenção.

6- Conhecem outras iniciativas como a Fogospel?

Sim, recebo ligações de pessoas querendo fazer igual em São Paulo, Pernambuco. E tem a Fla Gospel, que já conta com quase mil seguidores na internet.

7- O Botafogo perdeu para o Fluminense depois de 23 jogos invictos. É um time de azarado?

A gente sabe que o Botafogo é marcado pela superstição, até brincamos com isso, mas não acreditamos. Percebemos que algumas coisas se repetem com nosso time, como tomar gol em final da partida, mas tentamos quebrar isso com a nossa fé.

8- Vocês não falam palavrão. Como conseguem torcer sem xingar?

Estamos acostumados a reagir de uma forma diferente. Quando acontece um pênalti, por exemplo, posso gritar "Misericórdia!", ou "Tá amarrado em nome de Jesus!". Ou então o clássico "Pelo amor de Deus!".

9- Domingo é um dia especial para os evangélicos. Podem ir ao estádio?

Não é que seja proibido, mas a presença diminui porque a maioria tem compromisso de ir à igreja nesse dia. Mas, dependendo do horário, você consegue se planejar para ver o jogo e assistir ao culto.

10- Estão rezando muito para a decisão do Campeonato Carioca?

Se tem alguém que acredita em milagre é o evangélico! E nesse domingo é o que estamos precisando.

Fonte: VEJA RIO