MEMÓRIA DA CIDADE

A velocidade da luz

Exposição virtual mostra a evolução do sistema de iluminação pública do Rio

Por: Lula Branco Martins

Divulgação
(Foto: Redação Veja rio)
memoria-da-cidade-02.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

Com 32 imagens históricas, entre desenhos e fotos, uma mostra virtual sobre o sistema de iluminação pública no Rio, abrangendo os séculos XIX e XX, está disponível na internet há três semanas e vem sendo visitada por muita gente, geralmente curiosos interessados em saber detalhes sobre como se deu o aperfeiçoamento da distribuição de luz na cidade. Ela é o resultado de uma pesquisa do Centro da Memória da Eletricidade do Brasil que revela, por exemplo, que os primeiros registros da chegada da iluminação estão atrelados a princípios religiosos e iniciativas de caráter particular: lampiões e candeeiros eram utilizados para iluminar oratórios nas esquinas das ruas coloniais. Mais adiante, os postes das vias cariocas passariam a ser peças fundamentais na organização do espaço público ? por aumentar a sensação de segurança, a luz sempre incentivou um hábito que os moradores do Rio ainda mantêm: curtir as noites ao ar livre. No site (http://memoriadaeletricidade.com.br) também há textos, e lá se fala sobre reformas que acabariam se tornando marcantes na rotina da cidade, como, no início do século XX, as interferências empreendidas pelo prefeito Pereira Passos. Elas tinham entre os seus principais objetivos facilitar a circulação da população no Centro e permitir a instalação de um sistema de iluminação misto, que contava ainda com o gás, mas já com um sistema organizado de energia elétrica. Confira no quadro o avanço gradual da iluminação pública na cidade.

Fonte: VEJA RIO