DIVERSÃO

Fique ligado

Cinco estreias agitam os cinemas, seis espetáculos teatrais entram em cartaz e oito novas mostras chegam às salas cariocas. Aproveite os últimos dias para conferir seis peças e doze exposições. Programe-se!

- Atualizado em

CINEMA

vingadores.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

PRÉ-ESTREIA

DEUS DA CARNIFICINA, de Roman Polanski (Carnage, França/Alemanha/Polônia/Espanha, 2011). Em cartaz na cidade, a peça homônima de Yasmina Reza ganha uma versão cinematográfica do diretor de O Pianista. A comédia dramática mostra o confronto verbal e a saia justa em que se metem dois casais. Por causa de uma briga feia de seus pequenos filhos, eles vão tentar um acordo de paz. Com Jodie Foster, Kate Winslet, Christoph Waltz e John C. Reilly (80min).

Cinemark Downtown 2.

ESTREIAS

✪✪✪ SETE DIAS COM MARILYN, de Simon Curtis (My Week with Marilyn, EUA/Inglaterra, 2011). Inspirado em caso real, o drama apresenta a história do jovem inglês Colin Clark (Eddie Redmayne). Em 1956, aos 23 anos, o educado rapaz vindo de uma abastada família procura sua independência e vai bater na porta do prestigiado ator e diretor Laurence Olivier (Kenneth Branagh). De tanto insistir, acaba arranjando uma vaga de terceiro assistente de direção do novo filme da produtora, O Príncipe Encantado. Seria um emprego comum se a estrela da fita não fosse a deslumbrante e já muito famosa Marilyn Monroe, em sua primeira produção fora dos Estados Unidos. A relação entre Clark e Marilyn tende a ficar cada vez mais estreita quando a atriz, casada com o escritor Arthur Miller (Dougray Scott), demonstra interesse no novo amigo. Embora em nada lembre Marilyn, a mignon Michelle Williams, candidata ao Oscar, fez uma boa composição de personagem, mais escorada no comportamento instável do que no físico da diva. Correto e sem maiores pretensões, o filme também acerta ao mostrar as várias faces da protagonista da humildade aos chiliques, da carência à fragilidade emocional, do talento nato para a comédia à exuberância como símbolo sexual (99min). 12 anos. Estreou em 27/4/2012. Cinemark Botafogo 1, Cinemark Downtown 9, Cinépolis Lagoon 5, Espaço Itaú de Cinema 6, Espaço Rio Design VIP, Estação Sesc Ipanema 1, Estação Sesc Rio 1, Estação Vivo Gávea 5, Kinoplex Fashion Mall 3, Kinoplex Leblon 2, Kinoplex Tijuca 3, Roxy 2, UCI New York City Center 8.

✪✪ SONHOS EM MOVIMENTO, de Anne Linsel e Rainer Hoffmann (Tanzträume, Alemanha, 2010). O sucesso de Pina traz ao circuito outro documentário a respeito da obra da coreógrafa alemã. Em 1978, Pina Bausch (1940-2009) criou e estrelou Kontakthof e, ao longo dos anos, remontou a coreografia com outros dançarinos. Em 2008, Pina decidiu radicalizar trazendo Kontakthof numa versão com adolescentes e jovens sem nenhuma experiência de palco. A fita cobre a experiência passo a passo. Duas assistentes de Pina, que raramente aparece para ver os testes e ensaios, tentam fazer da tímida garotada artistas iniciantes. O resultado é interessante, sobretudo por focar nas mudanças de comportamento do elenco no passar dos meses. Antes, dispersos, nervosos e brincalhões; depois, maduros e compenetrados. Desapontam, porém, a pouquíssima participação efetiva (e afetiva) de Pina e os breves momentos da apresentação final (92min). Livre. Estreou em 27/4/2012. Estação Sesc Rio 3, Estação Vivo Gávea 1.

✪✪✪ VALE DOS ESQUECIDOS, de Maria Raduan (Brasil, 2011). Com 1,5 milhão de hectares, a Suiá-Missú, no Mato Grosso, foi a maior fazenda do Brasil. Na década de 70 começou um imbróglio que dura até hoje. Os índios xavantes, até então os únicos habitantes da região, foram transferidos para 600 quilômetros longe dali por causa da chegada dos fazendeiros. Hoje, a situação é ainda mais crítica e o documentário da estreante paulista Maria Raduan consegue dar conta de registrar os impasses. A então Suiá-Missú virou palco da disputa dos índios (que retornaram ao lugar de origem), proprietários de terra (como o americano John Carter), grileiros e sem-terra todos à espera de uma resolução do governo federal. Para piorar, os revoltosos chegam a atear fogo nas florestas, provocando um desastre ambiental de grandes proporções. Enxuta na duração, a fita toca numa ferida exposta e retrata através de um microcosmo da Amazônia um painel de um Brasil dissonante (72min). Livre. Estreou em 27/4/2012. Espaço Itaú de Cinema 5.

✪✪ OS VINGADORES, de Joss Whedon (The Avengers, EUA, 2012). Um dos filmes mais aguardados pelos fãs de HQ mostra-se irregular. Se há quase duas horas substituindo a ação pela enrolação, o terço final, com Nova York (onde mais?) sendo destruída, acaba compensando. A ideia de reunir, pela primeira vez no cinema, seis personagens da Marvel rende uma guerrinha de egos e boas piadas internas. Neste quesito, os embates verbais entre o tecnológico Tony Stark (Robert Downey Jr.), sem a armadura do Homem de Ferro, e o datado Capitão América (Chris Evans) viram o centro das atenções. Ainda são divertidas as demonstrações de força do monstro verde Hulk, que não poupa nem mesmo seus aliados. A trama, meia-boca, gira em torno de Tesseract, um cubo mágico cuja imensa fonte de energia pode arrasar a Terra. Vindo do planeta Asgard, Loki (Tom Hiddleston), irmão de Thor (Chris Hemsworth), invade o porta-aviões espacial onde encontra-se a agência secreta S.H.I.E.L.D. para roubar o objeto. Com seus poderes, hipnotiza o professor Selvig (Stellan Skarsgard) e o Gavião Arqueiro (Jeremy Renner). Mas o chefe Nick Fury (Samuel L. Jackson) tem a astúcia de entrar em contato com Stark, Capitão América e o Dr. Bruce Banner/Hulk (Mark Ruffalo) para ajudá-lo a enfrentar o inimigo alienígena. Thor também reaparece para dar uns sopapos no irmão e uma mãozinha aos super-heróis. Bela e lutadora elástica, Scarlett Johansson reencarna Natasha Romanoff, a Viúva Negra (142min). 12 anos. Estreou em 27/4/2012. Dublado: Bay Market 1, Box de Cinemas São Gonçalo 6 e 8, Cine 10 Sulacap 2 e 4, Cinespaço Boulevard 3, Cinespaço Boulevard 1, Cinemark Carioca Shooping 4, 5 e 8, Cinemark Downtown 7, Cinemark Plaza Shopping 1, CineSesc Freguesia 1, Cinesystem Bangu 3 e 4, Cinesystem Recreio 2, Cinesystem Via Brasil 6, Espaço Rio Design 1, Iguaçu Top 2, Iguatemi 4, Kinoplex Grande Rio 1 e 4, Kinoplex Nova América 6, Kinoplex West Shopping 3, UCI New York City Center 3 e 11, UCI Kinoplex NorteShopping 2, UCI Kinoplex NorteShopping 5 e 9, Via Parque 2. Legendado: Box de Cinemas São Gonçalo 7, Cinespaço Boulevard 3, Cinemark Botafogo 4, Cinemark Carioca Shopping 1, Cinemark Downtown 5, Cinemark Plaza Shopping 1, Cinépolis Lagoon 1, Cinesystem Ilha Plaza 1, Cinesystem Recreio 1, Cinesystem Via Brasil 2, Iguatemi 6, Kinoplex Fashion Mall 2, Kinoplex Leblon 4, Kinoplex Nova América 1, Kinoplex Tijuca 4 e 6, UCI New York City Center 13, 17 e 18, UCI Kinoplex NorteShopping 7 e 9, Via Parque 3. Dublado, 3D: Bay Market 3, Box de Cinemas São Gonçalo 1, Cinecarioca Nova Brasília, Cine 10 Sulacap 1, Cinemark Downtown 8 e 12, Cinemark Plaza Shopping 3, Cinépolis Lagoon 5, Cinesystem Bangu 1 e 2, Cinesystem Ilha Plaza 4, Cinesystem Via Brasil 4 e 5, Espaço Itaú de Cinema 4, Iguaçu Top 1, Iguatemi 1, Kinoplex Grande Rio 2 e 5, Kinoplex Nova América 5 e 7, Kinoplex Tijuca 1, Kinoplex West Shopping 2, Rio Sul 3, Roxy 3, UCI New York City Center 12 e 14, UCI Kinoplex NorteShopping 1, Via Parque 5. Legendado, 3D: Box de Cinemas São Gonçalo 1, Cinemark Botafogo 6, Cinemark Downtown 4, Cinemark Plaza Shopping 3 e 4, Cinépolis Lagoon 6, Cinesystem Ilha Plaza 4, Cinesystem Via Brasil 5, Espaço Itaú de Cinema 4, Leblon 2, Iguatemi 1, Kinoplex Nova América 5 e 7, Kinoplex West Shopping 5, Rio Sul 3, São Luiz 3 e 4, UCI New York City Center 4 e 14, UCI Kinoplex NorteShopping 10, Via Parque 6.

TEATRO

ESTREIA

FORA DA MÁQUINA DE LAVAR, de Juliana Pamplona. Drama. Integrante da programação da Mostra Interarte, o espetáculo multimídia se insere no segmento das ?nanopeças?, concebido por Guilherme Leme, Cláudia Mele e a Companhia Hospedaria de Teatro. Acompanhado por quatro músicos, o elenco -- Bruno Carneiro, Daniel Urion, Laura Limp, Maíra Kesten, Marcela Moura, Rafael Ramadan e Carol Nemetala -- encena situações do cotidiano de uma família nada convencional, com pitadas de teatro do absurdo. Personagens como um lagarto e um espectro fazem parte da montagem influenciada ainda pelo espetáculo de imagem de Bob Wilson e Romeo Castelluci. Direção de Jaime Rodriguez e Daniel Belquer (90min). 16 anos. Espaço Cultural Sérgio Porto (100 lugares). Rua Visconde Silva, s/nº, Humaitá, ☎ 2535-3846. Sexta e domingo, 21h; sábado, 21h e 23h. R$ 20,00. Bilheteria: a partir das 17h (sex. a dom.). Até domingo (29). Estreia prometida para sexta (27).

REESTREIAS

✪✪✪✪ AS CONCHAMBRANÇAS DE QUADERNA, de Ariano Suassuna. Primeira montagem da Companhia Omondé, a comédia é a próxima atração do projeto Rota Gamboa. O espetáculo reúne duas peças numa só, ligadas por um mesmo narrador, Dom Pedro Diniz Quaderna, personagem principal do romance A Pedra do Reino, também de Suassuna. A primeira trama traz a saga de duas irmãs prometidas em casamento. No dia da cerimônia, o noivo de uma delas decide se casar com outra mulher. Na segunda história, uma mulher decide dar parte do diabo à polícia porque o coisa-ruim não cumpriu a promessa de levar seu marido e a amante dele. Com Leonardo Brício, Débora Lamm, Juliana Boldini, Ricardo Souzedo, Zé Wendel, Iano Salomão, Diogo Camargos, Junior Dantas e Viviane Câmara. Direção de Inez Viana (100min). 14 anos. Estreou em 14/1/2010. Galpão Gamboa (80 lugares). Rua da Gamboa, 279, Gamboa, ☎ 2516-5929. → Sexta a sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 5,00 (moradores da região) e R$ 10,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. a qui.); a partir das 14h (sex. a dom.). Bilheteria na produtora Pequena Central (Rua Conde de Irajá, 98, Botafogo): 10h/16h (ter. a qui.). Até domingo (29). Reestreia prometida para sexta (27).

✪✪✪ DEUS É UM DJ, de Falk Richter. Drama mais famoso do autor alemão com tradução de Annette Ramershoven, em parceria com o diretor da montagem, Marcelo Rubens Paiva. Os atores Marcos Damigo e Juliana Schalch encenam a história de um casal de jovens artistas contratado por uma galeria de arte para participar de um reality show em que passam uma temporada dentro de um cubo cercado de câmeras. Na casa-galeria, eles trabalham em um ousado projeto que mistura suas próprias histórias à arte que produzem como DJ e VJ (80min). 16 anos. Estreou em 14/10/2011. Teatro Café Pequeno (100 lugares). Avenida Ataulfo de Paiva, 269, Leblon, ☎ 2294-4480. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (sex. a dom.). TT. Até 20 de maio. Reestreia prometida para sexta (27).

MULHERES SOLTEIRAS PROCURAM, de Pitty Webo. Sétimo texto da autora, a comédia também conta com sua interpretação e direção. Ao lado de Gustavo Leão e de Marco Antônio Gimenez, ela compõe o elenco da montagem que se desdobra em dezenove personagens na encenação de oito esquetes sobre pensamentos, angústias e anseios das mulheres de hoje na busca da felicidade (90min). 14 anos. Estreou em 27/11/2009. Teatro Fashion Mall -- Sala 2 (296 lugares). Estrada da Gávea, 899, 2º piso, São Conrado, ☎ 3322-2495. → Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (sex. e dom.) e R$ 70,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 8,00 por duas horas). Até 24 de junho. Reestreia prometida para sexta (27).

✪✪ NÃO EXISTE MULHER DIFÍCIL, de André Aguiar Marques, com adaptação de Lucio Mauro Filho. Sucesso na pele do delicado mordomo Crô na novela Fina Estampa, Marcelo Serrado interpreta um conquistador neste monólogo de humor que está na segunda temporada. Enxertado com experiências pessoais do adaptador e do ator, o espetáculo tem números de piano, a cargo do próprio Serrado, e pretende agradar a homens e mulheres, servindo como um manual de paquera. Direção de Otávio Müller (60min). 14 anos. Estreou em 14/8/2010. Teatro do Leblon -- Sala Fernanda Montenegro (417 lugares). Rua Conde Bernadotte, 26, Leblon, ☎ 2529-7700. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 20h. R$ 60,00 (sex. e dom.) e R$ 70,00 (sáb.). Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). Cc: D, M e V. Cd: todos. IC. Estac. (R$ 4,00 a cada meia hora). Até 1º de julho. Reestreia prometida para sexta (27).

PONTO DE FUGA, de Rodrigo Nogueira. Suspense que rendeu ao jovem dramaturgo o Prêmio APTR de melhor autor. É levada ao palco a história de uma mulher que, de tão identificada com o personagem de uma peça teatral, chega ao ponto de transformar sua personalidade. Aline Fanju, Cristina Flores, Liliane Rovaris, Lucas Gouvêa, Luísa Friese e Michel Blois encenam a trama e, em paralelo, narram a experiência de um músico que perdeu a capacidade de ouvir canções. Direção do autor (70min). 12 anos. Estreou em 13/10/2010. Teatro Serrador (318 lugares). Rua Senador Dantas, 13, Cinelândia, ☎ 2220-5033, ? Cinelândia. Segunda a quarta, 19h. R$ 20,00. Bilheteria: 11h/19h (seg. a dom.). Até quarta (25). Reestreia prometida para segunda (23).

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪✪ AMOR CONFESSO, de Claudia Ventura e Alexandre Dantas, a partir de contos de Arthur Azevedo (1855-1908). Alguns textos do cronista e dramaturgo, um dos pioneiros da comédia de costumes, servem de base para a montagem encenada por Claudia e Dantas. Acompanhada pelo pianista Rodrigo Alzuguir, a afinadíssima dupla encarna personagens prestes a se casar. Pouco antes da cerimônia, eles exploram a prosa de Azevedo para questionar se o matrimônio vale mesmo a pena. Obras como Vingança, Sabina, Como o Diabo as Arma!, Toc Toc Toc e A Melhor Amiga comprovam a atualidade do autor. Direção de Inez Viana (90min). 12 anos. Estreou em 11/11/2011. Sesc Tijuca -- Teatro I (259 lugares). Rua Barão de Mesquita, 539, Tijuca, ☎ 3238-2100. Sexta a domingo, 20h. R$ 16,00. Bilheteria: a partir das 13h (sex. e sáb.); a partir das 15h (dom.). Até domingo (29).

COMÉDIA EM PRETO E BRANCO, de Marcelo Marrom e Rodrigo Capella. Ex-integrantes da Cia. de Humor Deznecessários, de São Paulo, Marrom e Capella apresentam esquetes inspirados em notícias diárias e, em meio ao humor, buscam provocar reflexão sobre temas como o preconceito. As sessões da comédia, com direito a música, seguem um roteiro que dá margem ao improviso, herança da trupe anterior da dupla. Direção dos autores, com supervisão de Fabio Nascimento (80min). 14 anos. Estreou em 6/4/2012. Teatro dos Grandes Atores -- Sala Azul (396 lugares). Avenida das Américas, 3555, Barra (Shopping Barra Square), ☎ 3325-1645. Sexta e sábado, 23h. R$ 70,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: D e M. Cd: R. IC. Estac. (R$ 4,00 por duas horas). Até sábado (28).

CONCERTO DE ISPINHO E FULÔ, criação coletiva da Cia. do Tijolo. Montado em 2009 para celebrar o centenário de nascimento de Antônio Gonçalves da Silva (1909-2002), conhecido como o poeta popular e repentista Patativa do Assaré, o musical da trupe paulista chega ao Rio após percorrer quarenta cidades brasileiras e participar do Performing Arts Festival, na Dinamarca. O ator Dinho Lima Flor interpreta o personagem homenageado. Na trama, o artista cearense é lembrado por suas atividades de compositor, cantor e agricultor, além de tristes episódios pessoais, como a morte de uma filha causada pela fome. Toda a narrativa é embalada por composições de Luiz Gonzaga, Hermínio Bello Carvalho e Nelson Cavaquinho, além de canções de Lima Flor e Jonathan Silva. Direção cênica de Rogério Tarifa e musical de William Guedes (100min). 14 anos. Estreou em 19/4/2012. Caixa Cultural -- Teatro de Arena (150 lugares). Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Quinta a domingo, 19h. R$ 10,00. Bilheteria: a partir das 10h (qui. a dom.). Até domingo (29).

DOLLY, de Lygia Fagundes Telles com adaptação de Alethea Novaes. Produzido pela Cia. de Teatro Os Argonautas, de Salvador, o monólogo dramático é interpretado por Alethea. Com base no conto homônimo da escritora, a história aborda a vida das mulheres na década de 20, antes da revolução feminista, como personagens de comportamentos distintos em busca da realização de seus sonhos e aspirações profissionais. Uma quer ser escritora e outra, atriz de cinema, mas ambas têm de lidar com temas como a fama, aliada à ilusão, o vício, a solidão, o medo, a violência e a morte. Direção de Marcelo Flores (60min). 14 anos. Estreou em 9/3/2012. Teatro Poeirinha (60 lugares). Rua São João Batista, 104, Botafogo, ☎ 2537-8053. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. a dom.). IC. Até domingo (29).

FORMIDABLE, de Mauricio Baduh. Ator e cantor que integrou elencos de espetáculos como 4 Faces do Amor, Baduh passou a infância em Paris e cresceu ouvindo pérolas do cancioneiro francês. No musical de bolso, divide o palco com Simone Centurione, alternando histórias com dezenove músicas, na companhia dos instrumentistas Liliane Secco (teclados e direção musical), João Mário Macedo (contrabaixo) e Carlos Henrique (bateria). No repertório estão sucessos como Que C?Est Triste Venise (Charles Aznavour) e La Mer (Charles Trenet), além de Milord e Hymne à L?Amour (Édith Piaf). Direção-geral de Marco Marcondes (75min). Livre. Estreou em 17/11/2011. Teatro das Artes (457 lugares). Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º piso (Shopping da Gávea), Gávea, ☎ 2540-6004. Sexta e sábado, 19h. R$ 50,00. Bilheteria: a partir das 15h (sex. e sáb.). Cc: M e V. Cd: M e V. IC. Estac. (R$ 6,00 por duas horas). Até sábado (28).

RESTIN, criação coletiva do Grupo Pedras, com base na obra do poeta mato-grossense Manoel de Barros. Peça de estreia da trupe carioca, que celebra uma década de atividades, a comédia aborda temas como exclusão social, intolerância e abandono. Adriana Schneider, Marina Bezze, Helena Stewart e Luiz André Alvim interpretam quatro andarilhos que se encontram em um lixão e trazem consigo roupas, objetos e memórias do que foram no passado. No texto em que predomina o tom poético também há referências às obras de Murilo Mendes, Carlos Drummond de Andrade, Luís da Câmara Cascudo, Cecília Meireles e do pensador japonês Matsuo Bashô. Direção de Helena Stewart e Georgiana Góes (70min). Livre. Estreou em 2002. Teatro Gláucio Gill (104 lugares). Praça Car-deal Arcoverde, s/nº, Copacabana, ☎ 2332-7904, ? Cardeal Arcoverde. Quarta e Quinta, 21h. R$ 30,00. Bilheteria: a partir das 16h (qua. e qui.). Até quarta (25).

EXPOSIÇÕES

expo1.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

ESTREIAS

BEGIN ANYWHERE: UM SÉCULO DE JOHN CAGE. Com curadoria de Luiz Camillo Osorio e da musicista Vera Terra, a mostra celebra o centenário do compositor, poeta, pintor, teórico musical e escritor americano John Cage (1912-1992). A ideia é promover um diálogo entre a poética do homenagedo e nove obras do acervo do MAM. Serão expostas criações de Josef Albers (o único com dois trabalhos), Joseph Beuys, Jackson Pollock, Robert Rauschenberg, Mira Schendel, Guilherme Vaz, Paulo Vivacqua e Wolf Vostell, além de cinco partituras gráficas de Cage. Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 2240-4944. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 8,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 4,00. Grátis para amigos do MAM e menores de 12 anos. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 8,00 por grupo. Estac. (R$ 3,00 por uma hora). Até 20 de maio. A partir de domingo (29). www.mamrio.com.br.

CAO GUIMARÃES. O artista é conhecido por cruzar cinema e artes plásticas em seu trabalho. Em Estética da Gambiarra, ele apresenta quinze fotografias e quatro vídeos, com curadoria de Felipe Scovino. Escola de Artes Visuais do Parque Lage -- Cavalariças. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 12h às 20h; sexta a domingo e feriados, 10h às 17h. Grátis. Até 1º de julho. A partir de sábado (28). www.eavparquelage.rj.gov.br.

EDUARDO SUED. Vinte e quatro ilustrações do artista são reunidas na exposição intitulada Desenhos. A maioria dos trabalhos é da década de 1960, com influências do cubismo. As criações mais recentes exibem formas abstratas. R$ 8000,00 a R$ 10000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até 25 de maio. A partir de quinta (26). www.mercedesviegas.com.br.

INSTÂNCIAS DO DESENHO. Artistas do coletivo Atelier Subterrânea, Adauany Zimovski, Gabriel Netto, Guilherme Dable, James Zortéa, Lilian Maus e Túlio Pinto apresentam esculturas, vídeos, fotografias, aquarelas, pinturas e desenhos. Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, ☎ 3257-1800. Segunda a quinta, 9h às 22h; sexta a domingo e feriados, 9h às 17h. Grátis. Até 10 de junho. A partir de sábado (28). www.eavparquelage.rj.gov.br.

JAQUELINE VOJTA. Batizada como Pinturas, a mostra reúne seis obras em grandes formatos. Filha do dono de uma extinta fábrica de tecidos, a artista carioca recorre à memória familiar em sua técnica: pedaços de pano que sobraram da antiga tecelagem são encharcados de tinta acrílica, postos para secar e, depois, costurados com arame sobre uma tela. R$ 12000,00 a R$ 20000,00. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rua João Borges, 86, Gávea, ☎ 2294-4305. Segunda a sexta, 12h às 20h; sábado, 16h às 20h. Grátis. Até 25 de maio. A partir de quinta (26). www.mercedesviegas.com.br.

MUSEU INTERNACIONAL DE ARTE NAÏF. Depois de cinco anos fechado, o museu reabre na sexta (27). Seis exposições permanentes reúnem aproximadamente 200 obras do acervo da instituição. Há ainda duas mostras temporárias: Naïf + 20, inspirada no evento Rio + 20, que trará à cidade, em junho, chefes de estado e delegações de 120 países, exibe imagens que evocam questões ligadas à sustentabilidade e Molas do Panamá conta com quinze trabalhos feitos a partir de uma técnica típica daquele país, com o uso de retalhos de tecido. Museu Internacional de Arte Naïf. Rua Cosme Velho, 561, Cosme Velho, ☎ 2205-8612. Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, 12h às 18h (no sábado, apenas com agendamento prévio). R$ 16,00. Crianças até 5 anos não pagam. Menores de 18 e maiores de 60 anos pagam meia-entrada. A partir de sexta (27).

RIO MÚSICA. Instrumentos, vídeos e instalações digitais interativas contam a história da música na cidade do Rio desde os tempos dos índios tupinambás, no século XVI, até o funk, o rap e a música eletrônica dos dias de hoje. A curadoria é de Rosana Lanzelotte, cravista e doutora em informática. A exposição é de longa duração. Centro Municipal de Referência da Música Carioca. Rua Conde de Bonfim, 824, Tijuca, ☎ 3238-3743. Terça a domingo, 10h às 18h. Grátis. A partir de quarta (25).

YANN ARTHUS-BERTRAND. Diretor do documentário Home (2009), de imagens aéreas de vários lugares do planeta, o fotógrafo e ambientalista francês reproduz a ideia na exposição A Terra Vista do Céu. Ao ar livre, na Cinelândia, ele exibe 130 imagens, onze delas inéditas, feitas no Rio, em fevereiro passado. A favela da Rocinha e a praia de Ipanema são alguns dos pontos cariocas que aparecem nos registros. Como se trata de uma exposição aberta, não há horário de visitação. Praça Floriano, Centro, ? Cinelândia. Até 24 de junho. A partir de sexta (27).

ÚLTIMA SEMANA

ANTON STEENBOCK. Primeira individual do artista alemão no Rio, Gatilhos apresenta desenhos, vídeos, fotografias e instalações. Os trabalhos, em sua maioria, utilizam eletricidade. Em Cadernos de Notas, dois pequenos ventiladores disputam a leitura de um caderninho. Curadoria de Fernanda Pequeno. Galeria de Arte Ibeu. Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 690, 2º andar, Copacabana, ☎ 3816-9400, ? Siqueira Campos. → Segunda a sexta, 13h às 19h. Grátis. Até sexta (27). www.ibeu.org.br.

✪✪✪ ARTE DE SENTAR COM ARTE. Em cartaz com uma alentada retrospectiva no CCBB, os irmãos Fernando e Humberto Campana apresentam aqui onze cadeiras em edições limitadas. Com curadoria de Waldick Jatobá, a exposição poderia se tornar redundante, mas reserva boas surpresas, a exemplo de uma cadeira feita com jacarés de couro, ausente na outra mostra. Chama a atenção ainda uma versão preta da famosa cadeira Vermelha. Preços sob consulta. Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até sábado (28). www.lucianacaravello.com.br.

✪✪✪ CHAPLIN E SUA IMAGEM. Um passeio por vida e obra do inglês Charles Chaplin (1889-1977), o maior nome da era muda do cinema. O curador é o francês Sam Stourdzé, especialista em fotografia e atual diretor do Musée de l?Elysée, em Lausanne, na Suíça também curador da mostra sobre o diretor italiano Federico Fellini (1920-1993) em cartaz no Instituto Moreira Salles. Foram selecionadas mais de 200 fotos de cenas de suas produções. Chaplin aparece encarnando o inesquecível papel do adorável vagabundo e, em momentos de bastidores, é flagrado atrás das câmeras no set de Tempos Modernos (1936). Além de trechos de seus filmes, são exibidos vídeos documentais, como um registro em cores do astro já grisalho, cercado por seus filhos. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até domingo (29).

✪✪✪ [EDIÇÕES] | UM. Amador Perez, Antonio Bokel, Alê Souto, Ana Freitas, Iuri Casaes, Gabriel Giucci, Pedro Sanchez, Pedro Meyer e Pedro Victor Brandão integram o projeto idealizado pelo galerista Jaime Portas Vilaseca. Trata-se da produção de um álbum de gravuras em várias técnicas, cujas obras são expostas na galeria. As matrizes também são exibidas. Curiosamente, algumas delas, apesar de pouco interessantes, dão origem a belas gravuras, a exemplo da produzida por Ana Freitas, enquanto outras, como a de Amador Perez, são lindas antes mesmo de dar origem ao trabalho final. Portas Vilaseca Galeria. Avenida Ataulfo de Paiva, 1079, loja 109, subsolo, Leblon, ☎ 2274-5964. Segunda a sexta, 11h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até sábado (28). www.portasvilaseca.com.br.

JOSÉ PAULO MOREIRA DA FONSECA. Sessenta óleos produzidos a partir da década de 50 integram a mostra Poesia em Cores, do pintor carioca morto em 2004. Fachadas, portas e janelas compõem a maior parte dos trabalhos, mas há também algumas marinhas. TNT Escritório de Arte. Estrada da Barra da Tijuca, 1636, bloco B, loja A1, Barra, ☎ 2495-5751. Segunda a sábado, 10h às 19h. Grátis. Até sábado (28).

✪✪✪ JOSÉ RUFINO. Na Sala A Contemporânea, dedicada à arte brasileira emergente, o artista paraibano exibe a imponente instalação Divortium Aquarum, expressão em latim que designa o limite entre águas -- a linha imaginária entre duas bacias fluviais, por exemplo. A obra conta com uma figura de resina que reproduz a imagem de Rufino, tendo à sua frente uma série de barcos. Do lado oposto, uma estante guarda 100 garrafões de vidro com água dos rios que desembocam na Baía de Guanabara. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até domingo (29).

✪✪✪ MODERNISMOS -- 90 ANOS DE 1922. Reunido com curadoria de Daniela Name e Marcus de Lontra Costa, o acervo presta homenagem às nove décadas da realização da Semana de 22, marco do modernismo no Brasil. Obras de artistas diretamente ligados ao evento, como Anita Malfatti e Di Cavalcanti, se juntam a trabalhos de outros modernistas, a exemplo de Tarsila do Amaral, Ismael Nery, Lasar Segall e Victor Brecheret. As transformações sofridas pela cidade do Rio na época são apresentadas por meio de reproduções fotográficas. Há ainda uma sala especial dedicada a Mário de Andrade, com fotos feitas pelo escritor em sua viagem ao Norte do país e o longa Macunaíma, de Joaquim Pedro de Andrade, adaptação de seu livro mais conhecido. Caixa Cultural -- Galerias 2 e 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎ 2544-4080, ? Carioca. → Terça a sábado, 10h às 22h; domingo, 10h às 21h. Grátis. Até domingo (29). www.caixacultural.com.br.

✪✪✪ PRÊMIO MARCANTONIO VILAÇA. Criado pelo sistema CNI-Sesi em 2004, o prêmio é voltado para artistas em ascensão. Na edição 2011-2012, o pernambucano Jonathas de Andrade, a mineira Laura Belém, o maranhense Marcone Moreira e os paulistas André Komatsu e Paulo Nenflidio ganharam, cada um, uma bolsa de 30000 reais e lugar na coletiva que reúne os vencedores -- o processo de seleção começou com 580 projetos inscritos. A exposição compreende diferentes técnicas e linguagens, passando por esculturas, obras sonoras, instalações, objetos, vídeos e desenhos. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎ 2332-5120. → Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até domingo (29). www.fcfb.rj.gov.br.

RAFAEL ALONSO. Um dos seis artistas com individuais atualmente no Paço Imperial, o carioca também exibe três obras em Quase Tudo Original. São pinturas sobre compensado de madeira pertencentes à série Vídeo. R$ 4000,00 a R$ 12000,00. CosmoCopa Arte Contemporânea. Rua Siqueira Campos, 143, sala 32, ☎ 2236-4670, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até terça (24). www.cosmocopa.com.

✪✪✪ ROBERTO MAGALHÃES. Em um fim de semana do mês passado, o carioca recebeu a visita do artista Waltercio Caldas, amigo de longa data. O objetivo do encontro era uma exploração garimpeira, pelas 3000 ilustrações que Magalhães guardava em casa, para a montagem de uma exposição comemorativa de seus cinquenta anos de carreira. Ali foram pinçados os 46 trabalhos, todos inéditos, incluídos na mostra Observador de Tudo. No conjunto, representativo da variedade de temas e estilos de seu criador, imagens abstratas se juntam ao desenho literal de um homem mergulhando num lago. No meio-termo há obras enigmáticas, como a representação de três canos que expelem tintas coloridas. R$ 4000,00 a R$ 8000,00. Mul.ti.plo Espaço Arte. Rua Dias Ferreira, 417, sala 206, Leblon, ☎ 2259-1952. Segunda a sexta, 10h às 18h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até sábado (28). www.multiploespacoarte.com.br.

ROBINSON OLIVEIRA. A partir de imagens publicadas em livros, jornais e revistas, o artista fez dez pinturas entre 2009 e 2011. Esses trabalhos são apresentados na mostra Barroco Urbano. Entre o kitsch da pop art e a riqueza do barroco, Oliveira introduz em suas telas figuras como Arthur Bispo do Rosário, Frida Kahlo e Madonna. R$ 5 000,00 a R$ 13 000,000. Galeria Anna Maria Niemeyer (filial Baixo Gávea). Praça Santos Dumont, 140-A, Gávea, ☎ 2540-8155. Terça a sexta, 12h às 21h; sábado e domingo, 14h às 18h. Grátis. Até domingo (29). www.annamarianiemeyer.com.br.

✪✪✪ TARSILA DO AMARAL. Relíquia de família, um diário de viagens inspira a individual, a primeira dedicada à artista paulista realizada no Rio desde 1969. No caderno, Tarsila do Amaral (1886-1973) guardou ingressos, cartões, fotos e outros registros das muitas andanças que fez nos anos 20, quase sempre ao lado do modernista Oswald de Andrade (1890-1954), com quem foi casada. Impressões colhidas mundo afora (França, Grécia, Egito e Síria foram alguns dos seus destinos) refletem-se no acervo. Foram reunidas 72 obras, além de objetos pessoais, entre os quais o diário. Na lista das telas, a nata da coleção, estão Chapéu Azul (1922), criação do início de carreira, e Antropofagia (1929), marco de sua fase mais importante, mais as pouco conhecidas O Lago (1928) e Crianças (Orfanato), de 1935. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até domingo (29). em cartaz

Fonte: VEJA RIO