EXPOSIÇÕES

Dupla sensação de estreia

Em sua primeira individual no MAM, Elizabeth Jobim apresenta obras tridimensionais inéditas que evocam o neoconcretismo

Por: Rafael Teixeira - Atualizado em

Gabriela Mureb/divulgação
(Foto: Redação Veja rio)

Uma das integrantes da histórica coletiva Como Vai Você, Geração 80?, montada no Parque Lage em 1984 e trampolim para carreiras hoje consagradas, a carioca Elizabeth Jobim tem duas razões para sentir-se uma estreante. Com Blocos, que abre para o público na sexta (21), a artista faz sua primeira individual no Museu de Arte Moderna e apresenta um trabalho inédito. Na mostra, as criações, em vez de presas nas paredes, espalham-se pelo ambiente e podem ser rodeadas pelo visitante. Com curadoria de Luiz Camillo Osorio, o acervo reúne treze obras da série que dá nome à exposição, todas produzidas neste ano. Trata-se de totens de madeira inteiramente tomados por telas pintadas com formas geométricas de cores diversas. Evocando a arte neoconcretista de nomes como Willys de Castro (1926-1988), as peças são, ao mesmo tempo, pintura, escultura e instalação.

Museu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo, Centro, ☎ 3883-5600. → Terça a sexta, 12h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 19h. R$ 12,00. A bilheteria fecha meia hora antes. Pessoas com mais de 60 anos pagam R$ 6,00. Grátis para amigos do MAM, menores de 12 anos e para todos na quarta, a partir das 15h. Aos domingos vigora o ingresso-família: pagam-se R$ 12,00 por grupo de até cinco pessoas. Estac. (R$ 5,00 para visitantes do museu). Até 18 de agosto. A partir de sexta (21).

Fonte: VEJA RIO