DIVERSÃO

É de graça

Confira 28 atrações gratuitas neste fim de semana

- Atualizado em

CRIANÇAS

AI!!! O GRITO DE CARNAVAL DOS IRMÃOS BROTHERS, de Fábio Florentino. O espetáculo é dividido em duas partes: a primeira é o musical propriamente dito, que conta a história do Carnaval por meio de marchinhas e números circenses. Depois, a trupe comanda um baile para os pequenos foliões. O repertório inclui marchinhas autorais, além de clássicos apresentados na primeira parte, como Chiquita Bacana e Cidade Maravilhosa. Quem preferir poderá chegar apenas para o baile. Direção de Alberto Magalhães (45min de espetáculo e 45min de baile). Rec. a partir de 4 anos. Reestreou em 12/1/2013. Parque das Ruínas (75 lugares). Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎ 2224-3922. Sábado, 17h. Grátis. Até 2 de fevereiro.

irmaos-brother-abre.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

A VIAGEM DE CLARINHA, de Maria Clara Machado (1921-2001). A adaptação do texto de 1970 para o palco aborda a transição entre infância e adolescência. Em uma viagem de barquinho de papel dentro de sua banheira, a pequena Clara (Valentina Bandeira e Rachel Rennhack dividem o papel juntas em cena) é sugada pelo ralo e vai parar em uma ilha no meio do oceano. Ao longo da aventura, ela enfrenta desafios como tempestades e ondas gigantes, além da destruição do barquinho e do encontro com seres marítimos. Esses percalços, logo se vai notar, são metáforas para o enfrentamento de medos e a tomada de decisões que pavimentam o caminho do amadurecimento. O cenário de Ronald Teixeira exibe três ambientes: o banheiro da menina, a enorme tubulação transparente que vai levá-la até o oceano e o fundo do mar, composto de tecido e tela transparentes envolvendo a protagonista e os animais marinhos. Bonecos de variados tipos e tamanhos, criados por Alexandre Guimarães, são manipulados em cena. Direção de Cacá Mourthé e Symone Strobel (60min). Rec. a partir de 3 anos. Estreou em 17/1/2013. Galpão das Artes do Espaço Tom Jobim (100 pessoas). Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, ☎ 2274-7012. Quinta a domingo, 11h e 17h30. Grátis (qui. e sex.). Distribuição de senhas uma hora antes. R$ 40,00 (sáb. e dom.). Bilheteria: a partir das 10h (qui. a dom.). Até 3 de fevereiro.

TEATRO

DANTE?S PURGATORIO, adaptação de Jorge Farjalla a partir da obra de Dante Alighieri (1265-1321). Em 2011, a Cia. Guerreiro levou aos palcos uma transposição de Inferno, o primeiro segmento de A Divina Comédia, obra-prima do autor italiano. A segunda parte, Purgatório, é adaptada nesta comédia dramática que mostra Virgílio, personagem que simboliza a razão, guiando Dante, personificação do homem, em sua trajetória entre o inferno e o paraíso. No elenco estão Anna Machado, Ipojucan Dias, Fernanda de Jesus, João Monteiro, João Muniz, João Paulo Nóbrega, Lis Coelho, Loeni Mazzei, Luana Dickman, Paolo Sampaio, Raphaela Tafuri, V. Murici, Zímara e o diretor Farjalla (90min). 18 anos. Reestreou em 11/1/2013. Centro Cultural Ação da Cidadania (30 lugares). Avenida Barão de Tefé, 75, Saúde, ☎ 2233-7460 e 2253-8177. Quarta a sexta, 20h. Grátis. Até 1º de março.

SHOWS

RIO JAZZ FESTIVAL. Surgido na Sala Baden Powell, o evento ganha parceria do projeto Música no Museu e se espalha por diversos espaços culturais da cidade até o fim de janeiro. Na quarta (23), Ana Azevedo (piano), Daniel Garcia (saxofone), Lipe Portinho (contrabaixo), André Tandeta (bateria), do Tutti Clássicos In Jazz, apresentam ícones da música erudita em arranjos jazzísticos no CCBB. Sábado (26) é a vez de Adriano Souza (piano), Rômulo Gomes (contrabaixo), Xande Figueiredo (bateria) desfiarem composições autorais do disco Tocando o Céu, no palco da Hebraica. Augusto Mattoso (contrabaixo) lança seu terceiro álbum autoral, escoltado por Ithamar Assiere (piano) e Rafael Barata (bateria), no domingo (27), no MAM. CCBB ? Foyer. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. Quarta (23), 12h30. Grátis. Hebraica. Rua das Laranjeiras, 346, Laranjeiras, 2557-4455. Sábado (26), 18h. Grátis. Museu de Arte Moderna (200 lugares). Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo. Domingo (27), 11h30. Grátis.

MÚSICA NO PALÁCIO. O espaço cultural no Centro ganhou um piano de um quarto de cauda. Para inaugurar o instrumento, Carol Murta Ribeiro, titular da Academia Nacional de Música, apresenta programa com obras de Chopin, Liszt e Albéniz. Salão Histórico do Primeiro Tribunal do Júri ? Antigo Palácio da Justiça (100 lugares). Rua Dom Manuel, 29, 2º andar, Centro, ☎ 3133-3366/3368. Quinta (24), 19h. Grátis. Senhas distribuídas meia hora antes.

NOITE

CONCURSO DE SAMBA DE QUADRA COM TERESA CRISTINA. Realizada pelo Sesi, a quinta edição do festival anunciará o samba de quadra vencedor deste ano, entre mais de 1 000 canções participantes. A festa será comandada por Jorginho do Império, com a participação de Teresa Cristina e da bateria da Beija-Flor. Circo Voador. Arcos da Lapa, s/nº, Lapa, ☎?2533-0354. Quinta (24), 21h. Grátis. www.circovador.com.br.

ESPECIAL

CINE JAZZ. Na primeira edição do ano, o projeto iniciado em 2010 exibe um concerto do saxofonista americano Cannonball Adderley (1928-1975) gravado em 1963, na Alemanha, com Joe Zawinul (1932-2007) ao piano. Em seguida, o saxofonista Zé Canuto participa de um bate-papo com o público. Capacidade para sessenta pessoas. Rec. a partir de 14 anos. Museu de Arte Contemporânea ? Auditório. Mirante da Boa Viagem, s/nº, Niterói, ☎?2620-2400/2481. → Sábado (26), 16h. Grátis. Distribuição de senhas meia hora antes.

FESTIVAL DE CINEMA FRANCÊS ONLINE. O My French Fim Festival exibe, a partir de quinta (17), dez longas e dez curtas produzidos na França desde 2011. Durante um mês, até 17 de fevereiro, o público terá acesso gratuito a títulos como Fale de Você, de Pierre Pinaud, e Segunda-feira de Manhã, de Jean-Marc Moutout ? e vai poder votar em seus favoritos. Também estarão disponíveis, fora de competição, Testamento de um Gângster (1963), de Georges Lautner, Roméo Onze (2011), de Ivan Grbovic, e o curta Opasatica (2010), de Eric Morin. Informações e filmes em http://www.myfrenchfilmfestival.com/pt/.

EXPOSIÇÕES

IRMÃOS CAMPANA. Consagrados pela criação de cadeiras, sofás, mesas, luminárias e outros objetos utilitários que fundem design e arte, Humberto e Fernando Campana tiveram seus vinte anos de trajetória celebrados em 2012. A retrospectiva Anticorpos ? 1989-2009 reuniu 200 peças no Centro Cultural Banco do Brasil. Na mesma ocasião, a marchande Luciana Caravello abrigou em sua galeria, em Ipanema, uma mostra menor dedicada à dupla, batizada de A Arte de Sentar com Arte. Com um acervo de apenas onze objetos em edições limitadas, ela conseguiu uma proeza: não soou redundante diante da concorrência da alentada coleção exibida no CCBB. Um ano depois, seu espaço volta a receber o trabalho dos irmãos Campana: Traçando o Real abre as portas para o público na quinta (24). A exposição ocupará o 3º andar da galeria, lugar no qual Luciana vem se dedicando sistematicamente a exibir trabalhos que flertam com o design.

Novamente, o objetivo é evitar aquela sensação de mais do mesmo. Para tanto, o curador Waldick Jatobá fez uma enxuta seleção de dez peças nunca antes mostradas no Rio. Todas têm em comum o uso do vime, material que consagrou os irmãos na Design Miami de 2008, em que eles foram eleitos os melhores profissionais do ano na área. A matéria-prima também evoca o início da carreira dos Campana, o tempo em que ainda trabalhavam em uma oficina de artesanato criando, entre outros objetos, cestos de vime. Na seleção do ano passado havia apenas cadeiras, mas agora elas dividem espaço com luminárias (nas quais galões de plástico são usados de forma Surpreendente), estantes e outras invenções. Nas mãos da dupla, um simplório assento de plástico preto ganha ares de poltrona com o uso de vime sintético. A ambientação, desenvolvida especialmente pelo arquiteto e designer croata Marko Brajovic, vai privilegiar tons azuis.

Luciana Caravello Arte Contemporânea. Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema, ☎ 2523-4696. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 14h. Grátis. Até 22 de fevereiro. A partir de quinta (24). www.lucianacaravello.com.br.

HILDEBRANDO DE CASTRO. Nascido em Olinda, atualmente vivendo em São Paulo, o artista pernambucano apresenta sessenta obras produzidas entre 1990 e 2012. A seleção de Ilusões do Real, a cargo da curadora Denise Mattar, inclui trabalhos em pastel, óleo e acrílica. Caixa Cultural ? Galeria 3. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎?3980-3815, ??Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até 24 de fevereiro. A partir de terça (22). www.caixacultural.com.br.

CAROLINA MARTINEZ. Com Às Avessas, a artista ocupa o anexo da galeria. As obras apresentadas são janelas que ela trabalhou de forma a criar um ambiente em que paisagem e casa se misturam. R$ 1 500,00 a R$ 4 000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 28 de fevereiro. A partir de quarta (23).

PAULO MEIRA. Em sua primeira mostra no Rio, o criador pernambucano apresenta um vídeo inspirado no tango La Cumparsita, sucesso na voz de Carlos Gardel. Nas imagens, um homem dança com uma peça de 1,78 metro de altura em forma de compasso. Também é exibida uma série de óleos com figuras que combinam seres humanos e animais. R$ 7 000,00 a R$ 30 000,00. Galeria Laura Marsiaj. Rua Teixeira de Melo, 31-C, Ipanema, ☎ 2513-2074. Terça a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 16h. Grátis. Até 28 de fevereiro. A partir de quarta (23).

A SAGRADA FAMÍLIA. Com curadoria de Romaric Büel, a exposição reúne cerca de 100 peças de arte barroca e popular que têm em comum a evocação religiosa. A seleção vai de esculturas de anjos de autoria desconhecida até cerâmicas do pernambucano Zé Caboclo Filho, como aquela em que ele retrata José, Maria e Jesus em fuga para o Egito. Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro, ☎ 2253-1580. Terça a domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 3 de março. A partir de quinta (24).

✪✪✪ FLÁVIO DAMM. Autor de imagens históricas, por mais de dez anos atuante na revista O Cruzeiro, Damm passa o tempo... fotografando. Esse rico material das horas vagas está reunido na mostra Flávio Damm Passageiro do Preto & Branco ? Fotografias 1946-2012. Montada sob curadoria do designer Felipe Taborda, a individual reúne 85 obras em preto e branco. As obras foram criadas sob luz ambiente, em andanças pelo Brasil e 74 viagens ao exterior. Pessoas e cenas do cotidiano dominam a seleção, pinçada de uma coleção de mais de 60 000 negativos. Caixa Cultural ? Galeria 2. Avenida Almirante Barroso, 25, Centro, ☎?3980-3815, ??Carioca. Terça a domingo, 10h às 21h. Grátis. Até domingo (27). www.caixacultural.com.br.

✪✪✪?GETÚLIO DAMADO. Personagem conhecido de Santa Teresa, o artesão mineiro trabalha há 27 anos no bairro ? na rua, dentro de um inconfundível quiosque amarelo em forma de bondinho. Munido de uma montanha de sucata, cria bonecos, quadros, automóveis, casas e outras obras de arte. Parte desse universo particular, 107 peças foram reunidas na individual SucArte. Parque das Ruínas. Rua Murtinho Nobre, 169, Santa Teresa, ☎?2215-0621. Terça a domingo, 10h às 18h. Grátis. Até domingo (27).

✪✪✪?NUNO RAMOS. O Globo da Morte de Tudo é o nome da mostra e de uma das obras, desenvolvida por Ramos em parceria com Eduardo Climachauska. Trata-se de uma instalação de 200 metros quadrados composta de dois globos da morte, daqueles típicos de circo, usados por motoqueiros em arriscadas manobras. As estruturas estão conectadas a quatro estantes de 6 metros de altura, com onze prateleiras, contendo mais de 1 500 objetos, que vão de papel higiênico a bomba de posto de gasolina, passando por cerâmica e porcelana. Quem foi à mostra logo no início viu as prateleiras e os globos arrumados no ambiente. No dia 18 de dezembro, dois profissionais de circo fizeram uma performance (não aberta ao público) e, com a trepidação das motos, os objetos se espatifaram. De Ramos, também está exposta uma escultura inédita da série Lâmina, feita de vidro. No 3º andar da galeria, ele mostra ainda cinco desenhos inéditos da série Schreber, com traços geométricos, feitos de tinta a óleo, folhas de ouro e prata, carvão e tecido sobre papel. R$ 72 000,00 a R$ 200 000,00. Anita Schwartz Galeria de Arte. Rua José Roberto Macedo Soares, 30, Gávea, ☎ 2274-3873 e 2540-6446. Segunda a sexta, 10h às 20h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até sábado (26).

✪✪✪ ACERVO SILVIA CINTRA + BOX 4. Solução para o começo do ano, enquanto as agendas oficiais das galerias não se definem, mostras de acervo não costumam despertar maior interesse. Marchande de alguns dos mais importantes nomes da arte contemporânea brasileira, Silvia Cintra subverteu essa regra com uma expressiva reunião de obras em seu espaço na Gávea. São apenas quinze trabalhos de treze artistas, mas a seleção faz toda a diferença. O time escalado inclui gente do calibre de Leda Catunda, Daniel Senise, Lucia Koch e Amílcar de Castro. As técnicas variam. Há pinturas, a exemplo da criação figurativa de Maria Klabin, uma praia apresentada em tons soturnos, e da abstração de Carlito Carvalhosa, de azul esfuziante sobre alumínio. O fotógrafo Miguel Rio Branco comparece com o belo tríptico Maria, usando a atriz Mariana Ximenes como modelo. Aos 81 anos recém-completados, Nelson Leirner encarrega-se do humor jovial, inocente só na aparência, com a foto de um mapa-múndi lotado de adesivos de Mickey, Minnie, Hello Kitty, Papai Noel e caveiras. R$ 15 000,00 a R$ 130 000,00. Galeria Silvia Cintra + Box 4. Rua das Acácias, 104, Gávea, ☎ 2521-0426. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 12h às 18h. Grátis. Até 16 de fevereiro. www.silviacintra.com.br.

✪✪✪✪ ANNA MARIA NIEMEYER ? UM CAMINHO. Tributo à galerista morta em 2012, a mostra revela sua importância para as artes brasileiras através de um acervo rico. Foram reunidas 300 peças, entre documentos, fotos e 180 obras de 58 artistas. Estão lá nomes lançados por ela, a exemplo de Jorge Guinle (1947-1987), autor de sete telas, inclusive a monumental Aquário (1983), Victor Arruda, Jorge Duarte e Beatriz Milhazes, presente com seis de suas hoje cobiçadas criações. De seu pai, o arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012), há um singelo retrato da filha ainda bebê e móveis feitos pelos dois para construções de Brasília como o Palácio da Alvorada. Paço Imperial. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎?2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 17 de fevereiro. www.pacoimperial.com.br.

CINTHIA MARCELLE. Premiada no Brasil e no exterior, a mineira é a primeira atração do ano na Sala A Contemporânea, espaço no CCBB dedicado a artistas brasileiros emergentes. Em Zona Temporária, ela reúne dez vitrines com molduras de alumínio, vedadas com papéis de cores variadas, como branco, cinza, pardo, laranja e rosa. Um vídeo inédito, intitulado Automóvel, inspirado no mito grego de Sísifo, completa o acervo. Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro, ☎ 3808-2020. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 17 de fevereiro.

✪✪✪?EMMANUEL NASSAR. Nascido no Pará, o artista de 63 anos e mais de três décadas de carreira transporta um bocado dos coloridos encantos de sua terra natal para as 55 obras da individual Este Norte. No acervo há fotos, desenhos, bandeiras de tecido e pinturas sobre suportes diversos ? às vezes vários desses elementos em um mesmo trabalho. Composição de imagens, FotoGambiarra, de 2011, escancara em 3,20 metros quadrados algumas aplicações práticas daquele jeitinho que move o país. Fonte de inspiração, o universo popular une-se à história da arte nas criações de Nassar. Essa fusão calculada levou à criação de imagens instigantes como Mãodrian (1995), homenagem ao pintor holandês Piet Mondrian (1872-1944). Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎?2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 3 de fevereiro.

mondrian.jpg
(Foto: Redação Veja rio)

✪✪✪?HENRIQUE OLIVEIRA. Com curadoria de Vanda Klabin, o paulista de 39 anos, há pouco mais de uma década em atividade, apresenta a maior individual de sua carreira. Entre os trabalhos, criados a partir de 2008, são exibidas oito pinturas de cores vibrantes que se assemelham a colagens, a exemplo da acrílica sobre tela Abismo Azul (2010). Completam a mostra cinco esculturas produzidas com lascas de compensado flexível descartado de tapumes de obras urbanas, fixadas com parafusos e pintadas com tinta acrílica, como a monumental Xilempasto 2 (2010). Essas últimas são a parte mais interessante do acervo. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Rua Luís de Camões, 68, Centro, ☎ 2232-4213 e 2242-1012. Terça a sexta, 11h às 18h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 3 de fevereiro.

GALERIA DE ARTE BRASILEIRA MODERNA E CONTEMPORÂNEA. Depois de passar por reformas em 2012, o espaço do Museu Nacional de Belas Artes foi devolvido ao público. O número de trabalhos aumentou: agora são 205 obras, assinadas por 170 artistas. Foram incluídas peças como o óleo Retrato de Yedda Schmidt, de Portinari, e gravuras de Fayga Ostrower. Museu Nacional de Belas Artes. Avenida Rio Branco, 199, Centro, ☎ 2219-8474, ? Cinelândia. → Terça a sexta, 10h às 18h; sábado, domingo e feriados, 12h às 17h. Grátis. www.mnba.gov.br.

JOSÉ RUFINO. O artista recria em uma escultura o herói Ulisses, protagonista do clássico grego Odisseia, de Homero. A obra é feita a partir de materiais coletados no Rio, como madeira, pedra, ferro, concreto, conchas e cerâmica. As dimensões são monumentais: 23 metros de largura por 8 de altura. Outras duas obras completam o acervo de Ulysses: a interativa Cadáver Esquisito e Ulysses Memorabilia, que traz desenhos sobre livros antigos de anatomia e mapas da cidade. Casa França-Brasil. Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro, ☎?2332-5120. Terça a domingo, 10h às 20h. Grátis. Até 17 de fevereiro.

✪✪✪ MARCELO MOSCHETA. Uma viagem de três semanas feita pelo artista plástico ao Ártico, em 2011, serviu como ponto de partida para a individual Norte. Foram selecionados dez trabalhos, oito deles inéditos. Alguns têm sensor de presença que faz com que luzes se acendam, a exemplo de NY Alesund (2012), construído com cinco impressões e colagem de materiais diversos em papel fotográfico, alumínio, laser e acrílico, e Ilha Elephant 24 de Abril de 1916 (2010), que reúne dois projetores de slides. Chama atenção ainda a série Notes from the Cold (2012), com desenhos de grafite sobre PVC, alumínio e acrílico que, no ambiente escuro, parecem brilhar. O barulho do mar é reproduzido na videoinstalação Maré (2009). Curadoria de Daniela Name. Paço Imperial ? Sala Terreiro do Paço. Praça XV de Novembro, 48, Centro, ☎?2215-2093. Terça a domingo, 12h às 18h. Grátis. Até 17 de fevereiro. www.pacoimperial.com.br.

MULHERES DO LAN. Conhecido por seus desenhos de mulheres voluptuosas, o cartunista resgatou catorze criações do seu acervo, cujas personagens foram eternizadas em estátuas de bronze de 30 centímetros de altura, numeradas e assinadas pelo artista. O responsável por transformar as ilustrações em imagens em três dimensões foi o professor de escultura Marcus André Salles. R$ 4 500,00 a R$ 5 500,00. Galeria de Arte Marly Faro. Rua Aníbal de Mendonça, 221, Ipanema, ☎ 2259-9417. Segunda a sexta, 12h30 às 19h30; sábado, 9h30 às 13h. Grátis. Até 15 de fevereiro.

PAULO CLIMACHAUSKA. O paulistano começa o ano com duas exposições. No Oi Futuro, apresenta Re-Subtrações, que reúne uma escultura de granito, oito telas de serigrafia inspiradas no verso das cartas de baralho, batizadas de Blefe, desenhos da série Modelo para Armar, baseados em um jogo de varetas, e Tac-Tic, obra composta de um relógio solar, formado por catorze painéis de fórmica, e três vídeos. Em Fluxo de Caixa, na Galeria Artur Fidalgo, ele exibe Rubik Cube, um políptico formado por seis telas, e outras quatro telas da série Catedral. Apenas as obras dessa última exposição estão à venda, a preços entre R$ 43 000,00 e R$ 92 000,00. Galeria Artur Fidalgo. Rua Siqueira Campos, 143 (Shopping dos Antiquários), 2º piso, Copacabana, ☎ 2549-6278, ? Siqueira Campos. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Grátis. Até 16 de fevereiro. www.arturfidalgo.com.br. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo, ☎ 3131-3060, ? Largo do Machado. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Até 17 de março. www.oifuturo.org.br.

✪✪✪✪?WILLIAM KENTRIDGE. Artista consagrado, o sul-africano já ganhou individuais no Louvre, em Paris, e no MoMA, em Nova York. Sua notoriedade se deve em grande parte a um conjunto de vídeos ? dez até o momento, produzidos desde 1989 ? batizado de Drawing for Projection, exibido completo pela primeira vez na mostra William Kentridge: Fortuna. Quadro por quadro, ele vai filmando sutis alterações feitas em um desenho. Vinte e três deles estão no acervo, que inclui outros dezessete vídeos, além de esculturas e gravuras. Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, ☎ 3284-7400. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. Visitas guiadas de terça a sexta, às 17h. Até 17 de fevereiro. www.ims.com.br.

FOTOGRAFIA

EVANDRO TEIXEIRA. O tarimbado fotojornalista apresenta dezesseis obras em preto e branco, algumas inéditas, na individual Tempos de Chumbo, Tempo de Bossa ? Os Anos 60 pelas Lentes de Evandro Teixeira. Leila Diniz está entre os personagens da época retratados. Em vídeo, o autor mostra cerca de 100 imagens registradas nos primeiros momentos da ditadura militar. R$ 6 000,00 a R$ 8 000,00. Galeria Tempo. Avenida Atlântica, 1782, loja E, Copacabana, ☎?2255-4586. Terça a sábado, 11h às 19h. Grátis. Até 9 de fevereiro.

Veja também: Programação dos blocos de rua do Rio

Fonte: VEJA RIO